Alergia

   

Alergia ou reação de hipersensibilidade é uma resposta imunológica exagerada, que se desenvolve após a exposição a um determinado antígeno (substância estranha ao nosso organismo) e que ocorre em indivíduos susceptíveis (geneticamente) e previamente sensibilizados.

Uma vez que a pessoa tenha se sensibilizado (formado anticorpos IgE), a reação alérgica pode ocorrer de forma imediata após o contato com o agente (alérgeno) ou se estabelecer lentamente, vindo a se manifestar de forma contínua. Isso depende do grau de sensibilização (quantidade de anticorpos IgE), do tipo de alérgeno que suscitou a reação e da freqüência do contato com o mesmo. Exemplo de manifestação aguda e potencialmente grave é a anaflaxia (reação alérgica grave, com acometimento de todo o organismo; podendo levar á dificuldade de respiração, perda de consciência e morte – quando não tratada imediatamente). Esta pode ser desencadeada por alimentos, medicamentos e por insetos, como abelhas, vespas (marimbondos) e formigas.

Por outro lado, a asma e a rinite alérgica ou rinoconjuntivite alérgica são exemplos de manifestações alérgicas que ocorrem de forma crônica por exposição contínua a alérgenos do ambiente derivados de ácaros, pólens e fungos do ar, entre outros. A intensidade e a frequência dessas crises podem interferir na qualidade de vida do paciente.

Para o diagnóstico das alergias, deve-se levar em consideração: história clínica, fatores desencadeantes, antecedentes familiares e pessoal de alergias e exame fisíco.

Existem alguns testes disponíveis para a determinação de possíveis alergenos ou substâncias desencadeantes das reações, porém para cada teste há uma indicação precisa. Portanto, depende do tipo de alergia que o paciente apresenta. Dentre os teste mais utilizados estão, Teste de Puntura ou Prick Test e Teste de Contato ou Patch Test. Outros teste disponíveis são para avaliação da imunidade celular (como PPD, candidina e tricofitina). Além de teste de provocação para alimentos e medicamentos. Todos esses testes devem ser realizados pelo especialista em alergia e Imunologia, que é o profissional capacitado para tais procedimentos e tratamento.

Com medicamentos (como antihistamínicos; broncodilatadores, corticoesteroides inalatórios e tópicos, entre outros). Outra opçáo terapeutica é a imunoterapia com alérgenos. Também chamada de vacina para alergia, é uma forma de tratamento utilizada há mais de 50 anos com o objetivo de diminuir a sensibilidade de pessoas que se tornaram alérgicas a determinadas substâncias. O tratamento consiste na aplicação de alérgeno ao qual o paciente é sensível em doses crescentes por um período de tempo que é variável ( de 1 a 3 anos). A imunoterrapia induz uma série de alterações na resposta imune que estão associadas á melhora clínica. Medidas profiláticas também são importantes como estímulo á prática de esportes e atividades ao ar livre, combate ao tabagismo, incentivo ao aleitamento materno e orientações quanto á higiene ambiental.

• Alergias respiratórias (asma e rinite)
• Alergia ocular
• Dermatite atópica
• Dermatite de contato
• Urticária e Angioedema
• Alergia a veneno de insetos

Diretora Clínica
Drª. Simone Amorim | CRM 98.656
Rua dos Pinheiros, 498, cj.152
Pinheiros, São Paulo - SP | CEP:05422-000
+55 11 2309-4590
vitaclinica@vitaclinica.com.br