Categorias: ArtigosNeurologia

Diagnóstico e tratamento da Síndrome do Túnel do Carpo

Produzido por
Dra. Simone Amorim

Neurofisiologista e Neurologista Infantil

Compartilhe

Simone Amorim,
neurofisiologista e neurologista infantil

A gama de doenças que podem ser diagnosticadas por meio da Eletroneuromiografia é bem grande. O exame avalia as fibras nervosas periféricas desde a medula, passando pela raiz do nervo, pelo nervo propriamente dito, pela junção entre nervo e músculo, e pelo músculo. Mas pretendo falar neste post sobre o quadro que, estatisticamente, é o maior responsável pelos pedidos para o procedimento: a Síndrome do Túnel do Carpo.

Essa síndrome ocorre pela compressão do nervo mediano dentro do túnel do carpo – uma estrutura presente na palma da mão, logo abaixo do punho. Essa compressão leva à dor, à dormência na mão, atingindo sobretudo polegar, indicador, dedo médio e anelar. O quinto dedo (dedo mínimo) não é acometido, porque é inervado pelo nervo ulnar, e não pelo nervo mediano.

É comum o paciente que tem a Síndrome do Túnel do Carpo se queixar de que acorda durante a noite, devido à dor e à queimação na mão acometida pelo quadro. Outra queixa comum é a perda da capacidade de segurar objetos, passando a observar o aumento de incidentes por conta dessa perda de força e destreza.

Alguns fatores podem aumentar o risco de surgimento da síndrome, tais como exercícios repetitivos com as mãos, gestação, hipotireoidismo, entre outros. O grau de comprometimento do nervo mediano pode variar desde leve a grave, sendo que o exame de Eletroneuromiografia é o único capaz de analisar e demonstrar, por valores numéricos, qual é esse grau.

Um correto diagnóstico nesses casos é fundamental para a decisão da abordagem terapêutica, isto é, para o tratamento que será prescrito pelo médico para o paciente. O acompanhamento de fisioterapeuta e o uso de analgésicos podem ser suficientes nos casos leves.

Entretanto, nos casos moderados e graves, é importante a avaliação de um cirurgião especializado na cirurgia de descompressão do nervo mediano no túnel do carpo. Muitas vezes, é somente por meio dessa intervenção que se consegue promover o alívio dos sintomas e a recuperação/regeneração do nervo.

Essa publicação foi atualizada em 24 de agosto de 2019 15:44

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores.
Caso deseje entrar em contato conosco, escreva para blogdavita@vitaclinica.com.br
Produzido por
Dra. Simone Amorim

Neurofisiologista e Neurologista Infantil

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

8 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

9 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás