Categorias: DestaquesNotícias

Dois vilões que podem acabar com a alegria do verão

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Compartilhe

Desidratação e intoxicação alimentar são dois problemas que costumam andar juntos durante o verão. São comuns nesta época do ano, devido a uma combinação de fatores, e esses quadros são responsáveis pelo fim antecipado da diversão de muita gente.

A higienização muitas vezes precária e a conservação inadequada de alimentos, que tendem a perecer muito mais facilmente no calor, criam as situações propícias às intoxicações alimentares. A isso, o organismo reage com quadros de diarreia e vômito, que, por sua vez, aumentam o risco de desidratação.

Quando muito severa, a desidratação pode sim levar à morte. Quando leve, porém prolongada, a desidratação contribui para o surgimento de problemas crônicos de saúde, tais como insuficiência renal, pedra nos rins, além de problemas gastrointestinais e cardíacos.

O corpo desidratado, além de líquidos, perde sais minerais. Bebês, idosos e pessoas com a saúde já debilitada ou portadores de doenças crônicas são especialmente susceptíveis à desidratação. Familiares e cuidadores devem estar atentos a esses indivíduos e providenciar para diminuir os riscos nesta época do ano.

Conhecer os fatores de risco e os sintomas da desidratação é a principal forma de evitar que a chegada do verão faça novas vítimas.

Os sintomas da desidratação são:

– Sede excessiva, com boca e mucosas secas;
– Olhos ressecados;
– Pouca urina;
– Respiração ofegante;
– Queda de pressão;
– Fadiga;
– Podem ocorrer delírios e perda de consciência.

Como evitar:

– A ingestão de água deve corresponder a, pelo menos, 2 litros por dia; 
– Água de coco e sucos de frutas também contribuem para manter uma boa hidratação;
– As roupas devem ser leves e arejadas;
– Evitar a exposição solar em excesso;
– Alimentação leve, com presença de vegetais e frutas;
– Não comer alimentos preparados que tenham ficado fora da geladeira por muito tempo.

Pessoas com sintomas de desidratação devem ser levadas a um pronto-atendimento. Em alguns casos, é necessária a internação. Em outros, após a avaliação clínica, o paciente é liberado para que a reidratação seja feita em casa, com a prescrição de ingestão do soro caseiro, distribuído gratuitamente nos postos de saúde e nas unidades da rede Farmácia Popular.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

4 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

5 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás