O tempo frio realmente exige do nosso corpo um maior aporte calórico para se manter aquecido. Isso não é um mito. Mas o reforço necessário nas quantidades de alimentos que ingerimos é, em geral, muito discreto, segundo a nutricionista Andréa Della Ripa.

como se alimentar de maneira saudavel no inverno Nutricionista alerta para armadilhas no cardápio de inverno

“No inverno, com a temperatura externa mais baixa, o corpo precisa trabalhar mais para manter a sua temperatura ideal. Para isso, ele vai precisar de mais energia (calorias). Porém, o quanto a mais de alimento será necessário para atender essa necessidade é algo variável para cada pessoa, dependendo da idade, do gênero, das atividades físicas que pratica, etc. Mas, em geral, esse aumento não precisa ser muito significativo”, explica a especialista.

Por isso, é preciso termos cuidados redobrados para que a atenção ao que realmente é uma necessidade básica do organismo não acabe por resultar em um substancial ganho de peso ao final desta temporada.

Muitas vezes, ao buscar adaptações para atender a uma necessidade fisiológica, a pessoa acaba optando por um cardápio mais pesado e cheio de “armadilhas”, influenciado por fatores socioculturais ou, até mesmo, emocionais.

“Com o tempo frio, é normal buscarmos alimentos quentes e reconfortantes. Mas, se essa busca não for consciente, muitas vezes isso significa apostar em opções com maiores índices de gordura e açúcares, por exemplo”, observa Andréa, destacando que isso é completamente desnecessário para o organismo –  que certamente vai buscar armazenar os excessos em forma de quilos a mais na balança.

Sopas de pacote, bebidas achocolatadas cheias de açúcar e maior consumo de massas são alguns exemplos de escolhas equivocadas típicas dessa altura do ano.

A diminuição da prática de atividades físicas é outro fator que contribui muito para uma maior tendência ao ganho de peso durante o inverno, segundo a nutricionista.

“Embora o corpo tenha uma tendência a queimar mais calorias nessa época, o fato das pessoas diminuírem (ou até suspenderem) os exercícios prejudica o gasto energético”, salienta ela, lembrando que “aquilo que não é gasto tende a se converter em reservas de gordura em nosso corpo”.

ALGUMAS DICAS PRÁTICAS

– Cuidado com os açúcares embutidos em bolos, bolachas e lanchinhos confortantes em geral;

– Lembre-se de que frutas também podem ganhar leituras especiais nessa época do ano: algumas podem ser assadas ou grelhadas e ficam ótimas com temperos como canela. Esse é o caso da maçã, da banana e do abacaxi, por exemplo;

– Chás também são ótimas apostas. Além de grande parte deles ser bastante funcional, existe uma infinidade de ervas, flores e frutas que podem ser muito saborosas;

– Considere trocar o leite integral por leite desnatado ou semidesnatado. Isso também ajudará que as bebidas quentes que levam o produto fiquem um pouco menos calóricas;

Invista em sopas e caldos que sejam ricos em variedades de legumes e verduras, tendo muita atenção para evitar ingredientes como caldos e temperos prontos, embutidos, carnes gordas e excesso de queijos, por exemplo. As especiarias e os temperos diversificados podem ser os grandes aliados nessas receitas, para incrementar e até sofisticar os sabores;

– Não corte as proteínas da sua dieta. Carnes, peixes e ovos são importantes para dar saciedade ao organismo;

– Se notou que o tempo está interferindo na sua rotina de atividades físicas, busque formas de adaptá-las a esse período (buscando exercícios para fazer em casa, locais abrigados onde possa treinar, etc.). O que não pode é ficar parado, esperando os quilos extras chegarem ou a saúde ir embora!

Por fim, a dica mais importante: busque ajuda especializada. Um plano de ação focado nas suas necessidades e adaptado às suas condições pode fazer toda a diferença, não só para manter o controle do peso, como também para fazer isso de forma saudável.