Categorias: ArtigosDestaques

Primeira semana de junho é dedicada à luta contra queimaduras

Produzido por
Dra. Tallita Rezende

Dermatologista

Compartilhe

Tallita Rezende,
Dermatologista

Nesta semana, temos o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, no próximo dia 6. As queimaduras são lesões na pele em consequência da ação do calor e do frio (queimaduras térmicas), de agentes químicos, como soda cáustica e ácido clorídrico (queimaduras químicas), por descargas elétricas (queimaduras elétricas) e por animais e plantas, como o látex, a água-viva e a urtiga (queimaduras biológicas).

Grande parte das queimaduras ocorre no ambiente doméstico pelo contato direto com a fonte de calor representada por objetos (panelas, ferro de passar, forno, aquecedores) e líquidos quentes (água, leite, óleo), ou chamas (fogareiros, lareiras, fogões, churrasqueiras, fogos de artifício, velas, etc.). As maiores vítimas costumam ser as crianças e os idosos.

De acordo com a profundidade da pele atingida, as queimaduras podem ser classificadas como de primeiro, de segundo e de terceiro grau:

1) Queimaduras de primeiro grau: o calor destrói apenas a camada superficial da pele, ou seja, a epiderme. No local da lesão, surgem vermelhidão, inchaço e forte sensação de ardência. Geralmente, não há formação de bolhas. A queimadura provocada pela exposição ao sol é um exemplo típico de queimadura de primeiro grau;

2) Queimaduras de segundo grau: ocorre a destruição de camadas mais profundas da pele (toda a epiderme e parte da derme). Sua principal característica é a formação de bolhas, cheias de um líquido amarelo-claro que serve de proteção contra infecções por germes encontrados normalmente na pele;

3) Queimaduras de terceiro grau: são as mais profundas. Não há a formação de bolhas, porque as camadas mais superficiais da pele morrem imediatamente. Nos episódios mais graves, músculos, vísceras e até os ossos podem ser atingidos. Na maior dos casos, o paciente não se queixa de dor, porque as terminações nervosas responsáveis pela sensibilidade aos estímulos dolorosos foram destruídas.

Primeiros socorros

1) Queimaduras de primeiro e segundo grau: coloque a parte queimada debaixo de água corrente ou numa vasilha com água fria por cinco minutos para resfriar a pele e aliviar a dor. Depois, enxugue e proteja a região queimada com gaze ou com um pano seco e limpo. NÃO a esfregue nos cabelos, nem aplique nenhum tipo de pomada, pó de café, manteiga, pasta de dente sobre o ferimento, pois podem grudar na pele e agravar o ferimento.

2) Queimaduras de terceiro grau: coloque a parte queimada sob água fria por pelo menos cinco minutos (se a área for extensa, ponha a pessoa debaixo do chuveiro), cubra com pano limpo e transporte a pessoa para atendimento médico O MAIS DEPRESSA POSSÍVEL.

3) Observações importantes:

a) Nos casos de as roupas estarem pegando fogo, a pessoa não deve correr, porque o oxigênio do ar alimenta as chamas e o fogo se alastra. Se estiver sozinha, deve DEITAR NO CHÃO E ROLAR. Se houver alguém por perto, deve ajudar a pessoa a se deita e cobrir com um cobertor, toalha ou lençol PREFERIVELMENTE MOLHADOS para abafar o fogo. Se não for possível deitar a pessoa, quem a está socorrendo deve jogar água fria de cima para baixo, isto é, da cabeça para os pés, a fim de evitar queimaduras no rosto, brônquios e pulmões.

Depois é indispensável retirar-lhe toda a roupa, inclusive os sapatos e acessórios, e colocá-a debaixo do chuveiro de água fria ou, então, jogar água fria sobre seu corpo COM DELICADEZA, enquanto espera o socorro chegar.

b) Quando a queimadura for provocada por produtos químicos, a pessoa deve retirar a roupa molhada com o líquido (o que pode ser feito debaixo do chuveiro) e lavar a área atingida com água corrente fria, por pelo menos cinco minutos. Terminado esse tempo, deve dirigir-se a um pronto-socorro imediatamente.

Ao longo dos próximos dias, voltaremos a falar mais sobre como prevenir queimaduras e os procedimentos mais adequados para socorrer pessoas queimadas. Inúmeros casos de queimadura e suas complicações podem ser evitados com a divulgação e a promoção de medidas de prevenção.

Essa publicação foi atualizada em 26 de agosto de 2019 12:35

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores.
Caso deseje entrar em contato conosco, escreva para blogdavita@vitaclinica.com.br
Produzido por
Dra. Tallita Rezende

Dermatologista

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

4 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

5 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás