Guido de Paula Colares Neto,
Endocrinologista pediátrico

A glândula tireoide, presente na base do pescoço, é responsável pela produção de hormônios que atuam no metabolismo, crescimento e desenvolvimento neuropsicomotor da criança.

O hipotireoidismo é caracterizado pela deficiência na produção e/ou ação dos hormônios tireoidianos desde o nascimento ou durante a infância. Ele pode ocorrer por disfunções centrais no hipotálamo e/ou hipófise ou na própria glândula tireoide.

hipo 1 Sinais do hipotireoidismo na infância

A desaceleração do crescimento e o aumento do volume da tireoide podem ser um dos sintomas do hipotireoidismo na infância

Clinicamente, as crianças podem ser assintomáticas no ínicio da doença, mas alguns sinais e sintomas podem estar presentes. No período neonatal, os recém-nascidos podem apresentar icterícia prolongada, letargia, constipação, má alimentação, choro rouco, hipotonia e hérnia umbilical.

Durante a infância, uma das principais manifestações é a desaceleração do crescimento. Ganho de peso discreto, puberdade atrasada, aumento do volume da tireoide, queda de cabelos, unhas frágeis, pele seca, hipotensão, constipação crônica, alterações na aprendizagem, fraqueza muscular e irregularidade menstrual, também podem fazer parte do quadro clínico.

Na maioria dos casos, o diagnóstico é laboratorial pelas dosagens séricas de TSH (hormônio tireoestimulante) e T4 livre (tiroxina livre circulante no sangue), mas outros exames como a ultrassonografia e a dosagem de anticorpos antitireoidianos podem ser necessários para identificar a causa da doença.

Geralmente, o tratamento é baseado na reposição hormonal com levotiroxina, que deve ser monitorada pelo seguimento clínico e laboratorial, para um adequado desenvolvimento pôndero-estatural e neuropsicomotor da criança.