Toxina botulínica é considerada padrão-ouro contra enxaqueca

   


Cientificamente chamada de migrânea crônica, a enxaqueca é uma patologia altamente incômoda e debilitante. Mas hoje, com o tratamento com toxina botulínica, o paciente consegue experimentar a diminuição significativa da dor e da frequência das crises, bem como de todo o quadro sintomático associado.

Por isso, a terapêutica com toxina botulínica é considerada padrão-ouro contra a enxaqueca.

Antes do tratamento com toxina botulínica, as crises geralmente ocorrem várias vezes por semana, e podem envolver uma série de sintomas, que surgem de forma isolada ou combinada, variando de acordo com o quadro clínico de cada paciente.

Entre os principais sintomas da enxaqueca estão os seguintes:

• Dor intensa em um ou ambos os lados da cabeça;
• Dor intensa em um ou ambos os olhos;
• Mal-estar geral, com ou sem vômitos;
• Dormências e formigamentos (parestesias);
• Sensação de tontura (vertigem);
• Alterações no campo visual antes ou durante a crise, como visão dupla (diplopia) ou, até mesmo, perda parcial da visão;
• Aversão à luz (fotofobia);
• Intolerância ao barulho;
• Perda de coordenação (ataxia);
• Dificuldades na fala (disartria).

Depois do tratamento com toxina botulínica, muitos desses sintomas tendem a baixar para níveis insignificantes ou, até mesmo, desaparecer.

Quando administrada diretamente em alguns músculos específicos da cabeça e da nuca, a toxina botulínica reduz a liberação de neurotransmissores responsáveis pelos mecanismos de dor e da contração muscular. Com isso, há um “bloqueio” dos impulsos nervosos que causam a sensação de dor e um “relaxamento” da região onde a dor se instala.

A administração da toxina botulínica é feita em nível muscular, sendo que o protocolo de aplicação da substância para o controle da enxaqueca prevê a possibilidade de sua aplicação em cerca de 30 pontos, distribuídos em músculos das regiões frontal, temporoparietal, occipital e do pescoço. O planejamento das aplicações é feito pelo neurologista, a partir do conhecimento do quadro clínico específico do paciente.

Os volumes injetados vão de 0,05 a 0,1ml por ponto aplicado, sendo que o paciente deve ser informado sobre a quantidade de unidades que estão sendo administradas no seu plano de aplicação.

Com um tratamento bem feito e bem orientado, seguindo todo o protocolo de administração da toxina botulínica, os estudos mais conservadores apontam para um efeito médio de duração que vai de quatro a seis meses. Porém, há relatos de pacientes que chegam a ficar de oito a 12 meses livres de crises após a realização do tratamento.

O tratamento feito com toxina botulínica age no caráter crônico da dor enxaquecosa. Ou seja, após fazer o tratamento com a substância, a pessoa não sofrerá mais de dores com tanta frequência e nem com tanta intensidade. Com isso, obviamente, a necessidade de uso de analgésicos tende a diminuir.

Sim. É importante o paciente compreender que a enxaqueca é uma doença para a qual não há cura, sendo que esse quadro impacta diretamente a qualidade de vida do paciente, mas também é diretamente impactado pelo estilo de vida que a pessoa leva.

O tratamento com a toxina botulínica, ao eliminar o caráter crônico da dor, devolve de imediato a possibilidade do paciente alcançar uma expressiva melhora na sua qualidade de vida. Mas o estilo de vida que a pessoa irá adotar a partir daí, gerindo fatores importantes que agem como gatilhos da dor (como sedentarismo, alimentação, nível de estresse, tabagismo, etc.) é que vai fazer toda a diferença para continuar mantendo o quadro sob controle.


Quando administrada diretamente em alguns músculos específicos da cabeça e da nuca, a toxina botulínica reduz a liberação de neurotransmissores responsáveis pelos mecanismos de dor (como o glutamato e a substância P) e da acetilcolina, neurotransmissor ativamente envolvido no processo de contração muscular. Com isso, há um “bloqueio” dos impulsos nervosos que causam a sensação de dor e um “relaxamento” da região onde a dor se instala.

O protocolo de aplicação da toxina botulínica para o controle da enxaqueca inclui cerca de 30 pontos, distribuídos em músculos das regiões frontal, temporo-parietal, occipital e do pescoço;

Os pontos de aplicação podem variar de acordo com o tipo de dor de cada paciente;

Os volumes injetados vão de 0,1 a 0,2ml por ponto de aplicação;

O efeito dura, em média, de quatro a seis meses, variando para mais ou para menos, de paciente para paciente.



Diretora Clínica
Drª. Simone Amorim | CRM 98.656
Rua dos Pinheiros, 498, cj.152
Pinheiros, São Paulo - SP | CEP:05422-000
+55 11 2309-4590
vitaclinica@vitaclinica.com.br