Categorias: Artigos

Afinal, o que é TCC?

Por Cássia Denadai,
Psicóloga

A sigla TCC muitas vezes é relacionada com o Trabalho de Conclusão de Curso, normalmente exigido ao final de cursos de graduação. Por isso, quando profissionais de Saúde sugerem tratamento psicológico com TCC, é comum as pessoas estranharem. Mas, acalmem-se, o termo está correto. Em Psicologia, ele designa uma abordagem de tratamento, a Terapia Comportamental Cognitiva ou Terapia Cognitiva Comportamental (TCC).

Pela TCC aprendemos que os sintomas podem ser modificados. Trata-se de uma modalidade terapia que favorece a aprendizagem do indivíduo.

Vamos entender como isso acontece: vemos que o pensamento retrata uma crença que determina um sentimento e comportamento correspondente; o comportamento, por sua vez, significa uma ação que o indivíduo manifesta publicamente ou não, muitas vezes acompanhado por uma resposta física (tremor, rubor, sudorese, alteração da temperatura do corpo entre outros). Nesse mecanismo, o indivíduo vivencia uma “circularidade”, na qual o pensamento alimenta o comportamento/repostas e vice-versa.

Importa observar que esses padrões de pensamento são automáticos, ou seja, em algum momento foi um pensamento consciente que tornou habitual e se cristalizou como uma verdade inviolável, de tal forma que o individuo fica aprisionado como que submetido a uma “lei” da qual não pode fugir. Esses padrões são considerados disfuncionais quando, devido à sua inflexibilidade, trazem algum tipo de sofrimento à pessoa.

É aí que a TCC pode entrar como uma importante abordagem psicoterápica. Na terapia, focalizamos na atividade cognitiva (padrão de pensamento-resposta) que pretendemos modificar e adotamos técnicas bem estabelecidas e padronizadas para esse fim, e que atendem ao diagnóstico de cada transtorno ansioso ou de personalidade.

Cabe destacar aqui que os pensamentos e crenças adotados pelo individuo foram construídos pela interação com o ambiente; por essa interação é que se instala e se mantém a disfuncionalidade. Portanto, para remitir sintomas e comportamentos disfuncionais é preciso identificar os pensamentos que os fundamentam e os alimentam.

Nas sessões de psicoterapia eu, pessoalmente, estou sempre atenta a dois aspectos importantes. O primeiro: qual o pensamento que esteve presente em situações específicas? Assim, colocamos um foco – inicialmente as pessoas falam de sentimentos, somente com o tempo estarão aptas a identificar o pensamento. O segundo aspecto: procuro avaliar com a pessoa o que aconteceu antes e depois de um comportamento específico e passamos a observar a frequência de ocorrência desses comportamentos, qual o padrão de respostas observável, e assim por diante.

Desse modo, as pessoas aprendem a lidar assertivamente com suas questões pessoais e generalizam tal aprendizagem para eventos futuros, tornando-se independente do terapeuta e favorecendo a alta.

Contudo, é preciso reforçar que somente um psicólogo com formação específica em TCC está apto a lançar mão das “ferramentas” psicoterapêuticas capazes de garantir uma condução satisfatória do caso e resultados efetivos com esses pacientes.

Disqus Comments Loading...
Compartilhe

Recentes

Médica esclarece dúvidas de telespectadores sobre distonia em programa ao vivo

Distonia é o termo utilizado para definir um distúrbio do movimento caracterizado por movimentações involuntárias, repetitivas e incontroláveis, que podem…

1 semana atrás

Enxaqueca fora de controle põe em xeque trabalho, vida social e relacionamentos

Apesar de conviver com uma patologia crônica, altamente incapacitante e comprometedora da qualidade de vida, o paciente enxaquecoso muitas vezes…

3 semanas atrás

Campanha alerta sobre impactos das dores de cabeça na qualidade de vida

"Mesmo que você tenha boas explicações para as suas dores, se você tem três ou mais episódios de dor de…

4 semanas atrás

Enxaqueca é a segunda doença mais incapacitante do mundo

Dados atualizados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) neste ano apontam a enxaqueca como a segunda maior causa de…

1 mês atrás

Autismo: desmistificar é o primeiro passo para a verdadeira inclusão

Abril é um mês dedicado ao Transtorno do Espectro Autista (TEA). No último dia 02, tivemos o Dia Mundial de…

2 meses atrás

Dieta cetogênica é recomendada no controle da epilepsia

Há importantes novidades no tratamento dos pacientes epilépticos. A Liga Brasileira de Epilepsia, em seu mais novo protocolo, incorporou a…

3 meses atrás