Categorias: DestaquesNotícias

Atletas de fim de semana precisam ir com calma

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Compartilhe

Dr. Guilherme Foizer é ortopedista e especialista em Cirurgia da Coluna.

Ele é um defensor incondicional da prática regular de atividades físicas como principal e indispensável medida para a prevenção de um dos problemas mais prevalentes entre a população: a dor nas costas. Entretanto, o ortopedista e especialista em Cirurgia da Coluna, Guilherme Foizer, adverte àqueles que só querem ser atletas de fim de semana: a prática desorientada e inconsequente de exercícios guarda riscos reais de lesões, que podem ser bastante sérias.

Há pouquíssimos dias, o Brasil todo viu como num lance aparentemente banal o jogador Neymar acabou saindo com uma vértebra fraturada. Embora ressalte que no futebol, especificamente, as fraturas de coluna sejam raras, o médico explica que um lance como aquele pode, sim, acontecer a qualquer pessoa; e quanto menor o preparo físico e a força muscular, menos protegidos estão os nossos ossos.

“Numa pelada de fim de semana, o jogador ocasional vai usar os mesmos grupos musculares que os craques de alta competição utilizam. Logo, pode sofrer o mesmo tipo de traumas que eles, mas com a diferença de não realizar um trabalho constante de fortalecimento e preparo físico”, observa o especialista.

O exemplo usado foi o do futebol, mas a exigência física e a possibilidade de traumas e lesões acontecem também em outros esportes, inclusive naqueles que não envolvem contato, como corrida e natação. “A questão é simples: quanto menos trabalhados estão os músculos, mais desprotegidos estão os ossos e as articulações”, explica.

Essa é uma das razões pelas quais o médico, que tem uma página no Facebook onde fala sobre prevenção de dor na coluna, defende constantemente a realização de exercícios de alongamento – que, segundo ele, devem ser diários. Além disso, a prática de atividade física deve ser regular – pelo menos três vezes por semana -, para que a pessoa consiga manter os músculos sempre fortes e bem preparados.

“Quem pratica atividade física regular pode, nos finais de semana, optar por esportes que visem simplesmente o lazer, usufruindo desses momentos de uma forma mais protegida”, destaca.

Já quem nunca pratica nenhuma atividade e acredita que durante o final de semana pode compensar o sedentarismofazendo tudo o que não fez nos outros dias, está indo pela via errada. “Aí, os riscos de lesões são maiores, sem contar que a sensação de esforço e o cansaço também serão bem mais intensos”, complementa o médico. Essas são, segundo ele, as pessoas que acabam chegando “quebradas” à segunda-feira.

Além dos riscos para o sistema musculoesquelético, o médico também ressalta os cuidados com o sistema cardiovascular antes do início de práticas intensas de atividades físicas.

“Sob nenhum aspecto é benéfico para o organismo sair do sedentarismo total e, num único dia ou logo nas primeiras sessões de exercícios, buscar uma performance como a de quem pratica atividades regulares. É preciso ir aos poucos, após passar pela devida avaliação com um cardiologista e, se a pessoa tiver dores ou problemas osteomusculares, precisa passar também por um ortopedista”, orienta.

Apesar de todas essas precauções, o médico não deixa de incentivar quem está inativo e quer começar já a mudar a situação. Para esses, a melhor medida é uma caminhada, que não precisa ser vigorosa logo de início. Pode ser leve, dentro do ritmo e das condições de cada indivíduo. Além disso, exercícios leves e básicos de alongamento, sem forçar os limites, também podem ser realizados por praticamente todas as pessoas.

SIGA AS DICAS

Para quem está sedentário e quer aproveitar o final de semana para praticar alguma atividade, a realização de caminhadas é uma excelente alternativa. O ritmo NÃO deve ser forçado;

Movimentos de alongamento são importantes para TODAS as pessoas. Eles ajudam a preparar os músculos para todas as atividades, até mesmo as mais banais do dia a dia. Manter os músculos alongados é uma forma de proteger todo o sistema musculoesquelético;

Quem deseja incorporar a prática esportiva à rotina deve SEMPRE consultar um cardiologista. A consulta de rotina a esse profissional também é fundamental para aqueles que já praticam atividades com regularidade;

Pessoas que sofrem de dores crônicas devem buscar um especialista para que seja realizada uma investigação diagnóstica sobre as causas do problema. Geralmente, o ortopedista ou o reumatologista é que cuidam desses quadros, dando também as devidas orientações sobre as práticas desportivas mais adequadas para cada caso;

Pessoas que tenham problemas ortopédicos já instalados, como desvios na coluna, devem SEMPRE buscar a orientação do ortopedista para a prática de esportes, mesmo que não sintam dores. No caso da escoliose, por exemplo, algumas atividades não são recomendadas, enquanto outras são especialmente benéficas;

Mesmo quando a pessoa tem bom preparo físico e vai praticar um esporte que não está acostumada, ela vai forçar movimentos, tensionando, exigindo força ou flexibilidade de grupos musculares que não está acostumada a usar, e isso pode gerar lesões musculares ou, até mesmo, nas articulações. É importante saber observar os seus limites.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

6 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

6 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás