Categorias: Notícias

Coronavírus já é considerado uma pandemia

Compartilhe

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de decretar a situação do novo coronavírus como uma pandemia (epidemia espalhada por diversas regiões do planeta). No Brasil, até agora, já são 68 casos confirmados e as autoridades de Saúde estão tomando medidas para tentar evitar uma epidemia da doença. Um dos pedidos importantes à população é o de que as pessoas que apresentem sintomas suspeitos liguem primeiramente para o número 136 – a linha de apoio exclusiva para orientação sobre a doença – ou procurem a unidade de saúde mais próxima.

A medida visa evitar a sobrecarga dos serviços de urgência e emergência, bem como diminuir riscos de contaminação. Todas as pessoas com sintomas de gripe e resfriado devem também evitar locais de aglomeração e contato próximo com outras pessoas. O uso de máscaras para esses casos também é recomendável.

Gravidade

Na maioria dos casos, a COVID-19 – doença causada pelo novo coronavírus -, apresenta-se de forma leve a moderada, com sintomas muito parecidos com os da gripe comum (febre, tosse e dificuldades respiratórias). Mas o quadro pode evoluir com gravidade, levando à morte, sendo as pessoas idosas e com problemas crônicos de saúde mais suscetíveis a essas complicações.

À população em geral, as principais recomendações são para que se redobre os cuidados de higiene pessoal, com especial atenção para a lavagem das mãos e o uso de álcool gel, além de se evitar o compartilhamento de objetos pessoais e aglomerações. Nos ambientes de grande circulação de pessoas é importante a manutenção da ventilação e a devida limpeza das áreas de uso comum.

Trata-se, portanto, de uma situação onde todos têm um papel importante a desempenhar, cuidando tanto para não se contaminar, quanto para não ser um vetor de transmissão da doença.

Epidemia

O novo coronavírus (cientificamente chamado SARS-CoV-2, por ser pertencente a uma família de vírus que causa infecções respiratórias) foi identificado no final de 2019, na China, onde causou uma epidemia, que rapidamente se alastrou para mais de 100 países. Até agora, foram registrados mais de 100 mil casos, com cerca de 3,8 mil mortes.

Coronavírus: nome foi dado em decorrência da “forma de coroa” desse tipo de vírus, que tem diversas variantes em sua família

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

Sintomas

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a uma gripe comum ou um resfriado. A doença também pode evoluir para infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. No entanto, o coronavírus (SARS-CoV-2) ainda precisa de mais estudos e investigações para que se conheça melhor  outros sinais e sintomas da doença. Até o momento, as principais manifestações conhecidas são:

  • Febre;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar.

Contágio

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas está clara a disseminação de pessoa para pessoa, isto é, por gotículas respiratórias (gotículas de saliva, espirro e tosse) ou por contato (qualquer pessoa que tenha contato de menos de 1 metro com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção). O contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguidos de contato com boca, nariz ou olhos também pode levar ao contágio. Daí ser tão importante a higienização das mãos!

O período médio de incubação é de cinco dias, podendo levar até 12 dias para que os primeiros sintomas comecem a aparecer.

Medidas de proteção

A higienização das mãos é fundamental para evitar a proliferação do coronavírus e de outras doenças

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

Para mais informações sobre a doença e sobre as medidas adotadas pelo Ministério da Saúde, acesse: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/coronavirus

Essa publicação foi atualizada em 12 de março de 2020 15:36

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Você sabia que existe um médico especialista em dor?

Sim, existe um Dia Mundial de Combate à Dor e ele é assinalado agora, a 17 de outubro. Estima-se que…

6 dias atrás

Música traz benefícios diretos para o Processamento Auditivo Central (PAC)

Muitas pessoas nem sequer desconfiam que têm o Transtorno do Processamento Auditivo Central, mas enfrentam diversos prejuízos por causa disso,…

3 semanas atrás

Neuroplasticidade: a incrível capacidade de adaptação do cérebro humano

Que o cérebro humano é um fantástica central de processamento de informações, programação e distribuição de comandos, você certamente já…

3 meses atrás

“Manhãs da Vita”: especialistas esclarecem ao vivo dúvidas sobre temas de saúde

Temos uma novidade para você: a partir deste mês, uma vez por semana, um especialista do nosso Corpo Clínico estará…

3 meses atrás

AVC: uma pandemia silenciosa

Os acidentes vasculares cerebrais são hoje as principais causas de incapacidade em todo o planeta e a segunda maior causa…

3 meses atrás

Pandemia aumenta riscos de complicações em pacientes com doenças crônicas

Os riscos da pandemia do novo coronavírus vão muito além da Covid-19. Após quase um semestre de mudanças na rotina…

4 meses atrás