Dor de cabeça atinge mais de 90% da população

Cefaleia ou cefalgia é o nome técnico de um dos sintomas mais comuns no ser humano: a dor de cabeça. Existe mais de uma centena de causas para o surgimento desse quadro, que atinge mais de 90% das pessoas, em alguma altura da vida.

As dores de cabeça estão, portanto, entre as queixas mais comuns entre a população adulta em todo o mundo. Mas quando os episódios se tornam recorrentes (mais de três vezes por semana, por um período igual ou superior a três meses), o quadro precisa ser investigado, pois pode ser indicativo de alguma patologia mais grave ou de algum problema crônico, que pode comprometer diretamente a funcionalidade e a qualidade de vida.

Identificar corretamente o tipo de cefaleia da qual o paciente está sofrendo é muito importante para a condução de um tratamento seguro e assertivo.

As chamadas cefaleias primárias são aquelas nas quais a dor NÃO é um sintoma resultante de uma outra patologia de base, mas sim a patologia em si. Esse é o caso da enxaqueca, da cefaleia tensional e da cefaleia em salvas, por exemplo.

Nesses casos, o diagnóstico é clínico, com base no acompanhamento dos padrões e das características das crises. Mas exames laboratoriais e de imagens são solicitados, para descartar a existência de outras patologias.

Já as cefaleias secundárias são resultantes de algum problema de base, como tumores, lesões, sangramentos, entre outras patologias instaladas no cérebro e/ou crânio. Nesses casos, exames laboratoriais e de imagem (como as tomografias e ressonâncias, que são muito importantes) costumam indicar, com maior precisão, onde exatamente está a causa da dor e a extensão do problema.

Por isso, apesar de comum, a dor de cabeça não deve ser subestimada e nem tratada com automedicação. O “remedinho” de alívio tomado indiscriminadamente e sem a devida orientação médica pode mascarar o problema de fundo e, até mesmo, ajudar a contribuir para a piora do sintoma.

Quando os episódios de dor de cabeça se tornam recorrentes, o neurologista deve ser procurado para que seja feita a investigação da causa e a prescrição de um tratamento seguro.

Profissionais entrevistados:
Dra. Simone Amorim
Dr. Luiz Rodrigo Marinho

Agende sua consulta com um de nossos especialistas!

* Campos obrigatórios


Compartilhe

Recentes

Como a Avaliação Neuropsicológica pode ajudar no aproveitamento escolar?

Como vai o boletim escolar do seu filho? Além da pausa para estudantes e professores, as férias do meio do…

1 dia atrás

Como agir quando a criança sofre uma batida na cabeça?

Nestas férias, temos falado pelos nossos canais sobre a importância dos equipamentos de segurança na hora do lazer e dos…

2 semanas atrás

Após traumatismo do filho, apresentador faz apelo pelo uso de capacetes

O alerta é de quem acabou de passar por um susto daqueles: em suas redes sociais, o apresentador Luciano Huck…

2 semanas atrás

Sim, há um Dia Mundial de Solidariedade na Enxaqueca!

Não importa a estação do ano, quem tem enxaqueca, geralmente tem muita sensibilidade à luz. Segundo a Sociedade Brasileira da…

4 semanas atrás

Médica esclarece dúvidas de telespectadores sobre distonia em programa ao vivo

Distonia é o termo utilizado para definir um distúrbio do movimento caracterizado por movimentações involuntárias, repetitivas e incontroláveis, que podem…

1 mês atrás

Enxaqueca fora de controle põe em xeque trabalho, vida social e relacionamentos

Apesar de conviver com uma patologia crônica, altamente incapacitante e comprometedora da qualidade de vida, o paciente enxaquecoso muitas vezes…

2 meses atrás