Categorias: ArtigosNotícias

Dormir mal pode afetar o desenvolvimento da criança

Compartilhe

Não é só uma questão de disciplina: o sono irregular pode afetar o desenvolvimento físico e intelectual da criança. Por isso, é tão importante manter a rotina com os horários e estar atento aos sinais sobre a qualidade do sono infantil.

Entre outros benefícios importantes para o metabolismo, é quando o sono mais profundo é alcançado que o cérebro libera o hormônio GH, responsável pelo crescimento. Além disso, é durante o sono que o cérebro “consolida” conexões que propiciam o aprendizado de habilidades motoras e intelectuais.

Não dormir o suficiente impacta o bom funcionamento do organismo em todas as faixas etárias. Mas, de acordo com a neuropediatra e especialista em Medicina do Sono, Patrícia Lobo, integrante do Corpo Clínico da Vita, nas crianças, os sinais de déficit de sono não são iguais aos dos adultos. Nesses casos, a sonolência nem sempre será o resultado das noites mal dormidas.

“Crianças que dormem mal tendem a ser mais irritadas, agitadas, agressivas, além de apresentarem dificuldades de concentração e dificuldades de aprendizagem”, alerta a médica, indicando que, muitas vezes, esses sintomas podem ser confundidos com mau comportamento, pirraça ou, até mesmo, com alguns transtornos neurológicos (que podem ou não estarem associados ao déficit de sono), como o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e transtorno opositor desafiador (TOD), entre outros.

Segundo a especialista, outras consequência são: sobrepeso, déficit de crescimento e, em alguns casos, até mesmo comprometimento comportamental.

Patrícia salienta que diversas condições físicas, emocionais, psicológicas e ambientais podem impactar o sono da criança. Acreditar que porque elas não têm preocupações irão sempre dormir o soninho dos justos é uma premissa equivocada.

Criança também pode apresentar insônia, por causa de ansiedade ou outras causas emocionais, por exemplo. A enurese noturna (o xixi na cama) também pode ser consequência de um distúrbio de sono. Vários fatores podem alterar o sono: como a exposição a aparelhos eletrônicos e brincadeiras muito agitadas, com muitos estímulos, antes do horário de dormir, etc.

Distúrbios respiratórios, como apneia – que na infância pode ser causada pelo aumento da adenoide e/ou amígdalas, por exemplo-, são outros problemas recorrentes, associados a uma qualidade de sono ruim. Cólicas e refluxo gastroesofágico também figuram na lista dos quadros comuns que mais costumam impactar o sono infantil.

Avaliar as causas dessa situação, sejam elas ambientais ou relacionadas a alguma doença, e promover medidas que possam ajudar essa criança a dormir bem é fundamental para um bom desenvolvimento. Mudanças nesses padrões permitem melhorias significativas em quesitos como capacidade de concentração, aprendizagem e sociabilização – além de melhorias na qualidade de vida da própria família.

COMO PROMOVER UMA BOA HIGIENE DO SONO

  1. A regularidade de horário para deitar a criança deve ser mantida, inclusive aos fins de semana. A variação máxima no horário deve a mínima possível;
  2. Ter uma rotina de deitar estabelecida com um ritual que precede a ida para a cama ajuda a criança a assimilar o hábito (tipo: tomar um banho relaxante, vestir o pijama, escovar os dentes, contar história, etc.);
  3. Deitar a criança ainda acordada, permitindo o uso de objeto de transição como uma fralda, chupeta ou boneco ajuda no relaxamento e assimilação do processo de relaxamento para o adormecer;
  4. Sempre que possível, deve-se evitar o adormecer em local que não a própria cama;
  5. Atividade estimulantes antes de adormecer como exercícios físicos ou brincadeiras intensas devem ser evitadas, bem como a utilização de aparelhos eletrônicos (TV, celulares, tablets, joguinhos, etc.).

Sinais que merecem avaliação

  • Criança se apresenta mais agitada do que de costume;
  • Apresenta dificuldades de atenção e de aprendizagem;
  • Crescimento e/ou ganho de peso fora de curva, sem outras razões identificáveis;
  • Sono irregular, sem padrão de horários ou muito entrecortados
  • Ronco.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Pandemia aumenta riscos de complicações em pacientes com doenças crônicas

Os riscos da pandemia do novo coronavírus vão muito além da Covid-19. Após quase um semestre de mudanças na rotina…

1 semana atrás

Covid-19: seis hábitos indispensáveis dentro do chamado “novo normal”

O isolamento social vai sendo afrouxado, mas o novo coronavírus e a Covid-19 ainda são uma realidade a ser enfrentada,…

2 semanas atrás

Cuidados para que o isolamento social não se transforme em solidão e abandono para os idosos

Mesmo com a tendência atual de governos e sociedades afrouxarem a quarentena, a população idosa segue sob a recomendação de…

3 semanas atrás

Pandemia também põe em risco a saúde mental

A pandemia de Covid-19 também tem causado danos à saúde mental das pessoas. O cenário que envolve riscos biológicos, drásticas…

4 semanas atrás

Pacientes sofrem mais com crises de enxaqueca durante a pandemia

Maiores níveis de estresse, tensão e ansiedade, junto com as alterações na rotina, têm propiciado ambiente ideal para agravamento das…

2 meses atrás

Atendimento rápido e monitoramento diminuem índices de morte pela Covid-19

Quase um semestre após a primeira identificação do novo coronavírus, e com muito ainda por se descobrir sobre a sua…

2 meses atrás