Categorias: ArtigosDestaques

Esteja atento aos sinais da sua pele!

Compartilhe

Tallita Rezende,
dermatologista

Maio é o Mês Internacional de Combate ao Melanoma – o tipo de câncer mais agressivo que pode atingir a pele e que pode, até mesmo, ser fatal.

O check-up dermatológico deve ser feito por todos, pelo menos uma vez ao ano.

Embora estatisticamente sejam os de menor incidência entre os cânceres de pele, os cânceres do tipo melanoma são os mais perigosos, por terem a capacidade de invadir qualquer órgão e de se espalhar pelo corpo. Isso pode acontecer muito rapidamente, em questão de poucos meses.

Daí a grande importância do autoexame periódico da pele ( que deve ser feito todos os meses) e dos check-ups dermatológicos (estes pelo menos uma vez ao ano, podendo haver a necessidade de visitas mais frequentes, dependendo do quadro clínico do paciente), em consultório médico.

Outro tópico importante é o de que pessoas morenas e negras também estão sujeitas a ter câncer de pele. Apesar desse problema atingir, de uma forma geral, bem mais às pessoas de pele clara, as estatísticas mostram que um tipo bem agressivo de melanoma (melanoma acral) é mais comum de acontecer em pessoas de pele negra.

Soma-se a isso o fato de que no Brasil temos sol intenso e calor o ano inteiro, sendo que nem sempre as medidas de fotoproteção são seguidas à risca, como se deve. Assim, temos então razões mais do que suficientes para que a visita ao dermatologista seja encarada como uma visita de rotina obrigatória.

Cuidar bem da pele está longe de ser uma mera questão de vaidade. É uma medida importante para a saúde e para a longevidade.

SAIBA MAIS SOBRE O MELANOMA

O câncer de pele do tipo melanoma está entre os mais perigosos porque tem a capacidade de invadir qualquer órgão e de se espalhar pelo corpo, causando metástase e levando o paciente a óbito.

Esse tipo de câncer é originário dos melanócitos, as células responsáveis pela produção de melanina na pele. Como a melanina é a substância que dá cor à pele, os melanomas tendem a ser lesões escuras.

Um jeito bastante esclarecedor para ajudar a pessoa a identificar lesões suspeitas é o chamado ABCDE, que mostramos a seguir na tabela abaixo. Entretanto, isso NÃO deve ser tomado como uma sentença diagnóstica. Toda lesão suspeita deve ser sempre avaliada por um dermatologista e, mesmo se não notarem nenhum sinal na pele, todas as pessoas devem fazer um check-up dermatológico anual, com um especialista.

Dra. Tallita Rezende, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), escreve quinzenalmente para o Blog da Vita.

Essa publicação foi atualizada em 26 de agosto de 2019 11:39

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores.
Caso deseje entrar em contato conosco, escreva para blogdavita@vitaclinica.com.br
Produzido por
Dra. Tallita Rezende

Dermatologista

Recentes

Neuroplasticidade: a incrível capacidade de adaptação do cérebro humano

Que o cérebro humano é um fantástica central de processamento de informações, programação e distribuição de comandos, você certamente já…

2 meses atrás

“Manhãs da Vita”: especialistas esclarecem ao vivo dúvidas sobre temas de saúde

Temos uma novidade para você: a partir deste mês, uma vez por semana, um especialista do nosso Corpo Clínico estará…

2 meses atrás

AVC: uma pandemia silenciosa

Os acidentes vasculares cerebrais são hoje as principais causas de incapacidade em todo o planeta e a segunda maior causa…

2 meses atrás

Pandemia aumenta riscos de complicações em pacientes com doenças crônicas

Os riscos da pandemia do novo coronavírus vão muito além da Covid-19. Após quase um semestre de mudanças na rotina…

3 meses atrás

Covid-19: seis hábitos indispensáveis dentro do chamado “novo normal”

O isolamento social vai sendo afrouxado, mas o novo coronavírus e a Covid-19 ainda são uma realidade a ser enfrentada,…

3 meses atrás

Cuidados para que o isolamento social não se transforme em solidão e abandono para os idosos

Mesmo com a tendência atual de governos e sociedades afrouxarem a quarentena, a população idosa segue sob a recomendação de…

3 meses atrás