Categorias: DestaquesNotícias

Faça uma checklist para a hora da consulta

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Compartilhe

Você já se deu conta de que uma preparação prévia para a consulta pode fazer toda a diferença e tornar este tempo com o especialista muito mais esclarecedor e melhor aproveitado? Veja o que três médicas têm a dizer sobre como o paciente pode otimizar esse momento.

“Não é raro, no momento da consulta, os pais, por exemplo, esquecerem de perguntar algo que julgavam importante e depois acabarem angustiados com aquela dúvida”, explica a neurologista infantil Simone Amorim. “Por isso, uma orientação que sempre dou aos pacientes ou aos responsáveis por eles é: anotem tudo o que acham importante, tanto para informar ao médico quanto para perguntar a ele, completa.

Outro ponto para o qual a médica alerta é sobre a sinceridade por parte dos pacientes. “O médico tem, necessariamente, de fazer muitas perguntas ao paciente. Mas é bom que se saiba que não existem respostas certas ou erradas para elas, pois o profissional não está ali para julgar ninguém e, sim, para ajudar a pessoa a resolver o seu problema”, diz.

No consultório, os médicos observam que, muitas vezes, os pacientes não dizem a verdade ou a omitem, por medo de receber um possível diagnóstico desagradável ou ainda por vergonha do médico ou da pessoa que foi junto como companhia na consulta. “Essa opção por omitir ou mentir é sempre prejudicial ao tratamento e à relação médico-paciente, pois o diagnóstico pode até demorar mais tempo para ser feito, se não houver essa cumplicidade entre o especialista e a pessoa que está sendo tratada”, observa Simone.

Para além dessa questão, a dermatologista Tallita Rezende lança, também, um alerta sobre o risco que correm aqueles que buscam diagnósticos na Internet. “A dica é: conte ao seu médico o que está sentindo e espere que ele o oriente. A pessoa pode até pesquisar seus sintomas na Internet. Porém, não deve ir à consulta achando que já tem um “diagnóstico”. Quem costuma se autodiagnosticar acaba omitindo sintomas importantes durante a consulta”, adverte.

Outra dica da especialista é: ao sair de casa para uma consulta médica, vale a pena estar trajando roupas e sapatos confortáveis e fáceis de serem retirados, pois, em todas as especialidades, o exame físico, normalmente, é fundamental e, no caso da Dermatologia, a avaliação da pele em toda sua extensão é que permitirá ao médico o correto diagnóstico. Ainda em relação a essa especialidade, é recomendável ainda que as unhas estejam sem esmaltes e que os cabelos estejam limpos e secos, pois essas áreas do corpo também serão examinadas, sobretudo numa primeira consulta.

A pediatra Ana Catarina Macedo também ressalta a importância da praticidade do vestuário. Pais que levam bebês e crianças pequenas ao médico, mesmo em consultasde rotina, devem estar atentos para que as roupinhas sejam fáceis de tirar e vestir novamente, para que o exame físico seja o menos estressante possível para o pequeno paciente.

Também não se deve oferecer alimentos às crianças antes daconsulta, pois, durante o exame físico, sempre é feita avaliação da cavidade oral (boca, amigdalas, faringe) e este procedimento pode ser dificultado pela presença de alimentos.

Chegar pelo menos 10 minutos antes do horário agendado também é outra medida auxiliar para o bom aproveitamento do tempo de consulta, pois, muitas vezes, uma preparação prévia do paciente pode ser necessária, assim como o preenchimento de cadastros e fichas. Trazer consigo exames recentes que possam ser de interesse do especialista é outra medida inteligente que pode otimizar o seu tempo com o médico.

Dicas práticas para aproveitar bem o seu tempo de consulta

1. Procure chegar pelo menos 10 ou 15 minutos antes da hora marcada. Esse pequeno descanso é importante antes de ser examinado. Além disso, o cumprimento de horários é uma obrigação, tanto do médico quanto do paciente;
2. Escolha roupas e calçados práticos de tirar e voltar a colocar, pois o exame físico énecessário;
3. Não há problema em levar um acompanhante ao médico, caso você se sinta confortável com isso. Porém, a não ser em caso de incapacidade, é o próprio paciente que deve fazer toda a interlocução com o seu médico.

4. Para poder ajudar o paciente, o médico precisa fazer perguntas. Procure respondê-las de forma sincera, objetiva e clara. O seu médico não está ali para julgá-lo;

5. Leve anotado, numa folha de papel, os principais pontos que você quer abordar com o seu médico. Exponha suas dúvidas, sem constrangimentos;

6. Certifique-se de que entendeu bem o que lhe foi prescrito na receita. Desligue o celular; a consulta é um momento seu e do médico;

7. Vá com os cabelos limpos e secos. Isso facilita o exame do couro cabeludo e dos fios de cabelo, sendo que essa é uma análise necessária em algumas especialidades, como no caso da Dermatologia;

8. Cuidado com os “diagnósticos” tirados da Internet. Vá ao médico disposto a deixar que ele, como especialista, chegue a uma conclusão sobre seu problema;

9. Informe ao médico doenças pré-existentes, medicamentos de uso contínuo e possíveis alergias;

10. Leve consigo seus exames mais recentes, como análises de sangue, radiografias ou tomografias que possam ajudar o médico a verificar o seu quadro clínico.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

6 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

6 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás