Categorias: Artigos

Fique atento à sua pele

Produzido por
Dra. Tallita Rezende

Dermatologista

Compartilhe

O Câncer de Pele é o tipo mais comum de câncer. Hoje, 8 de Abril, Dia Mundial de Combate ao Câncer, é importante chamar atenção para esta doença, que em 90% dos casos está relacionada à exposição excessiva aos raios nocivos do sol (entre as 10h e as 15h).

Por ser visível, o câncer de pele pode ser diagnosticado e tratado em fase precoce, o que torna a cura possível na maioria dos casos. Além de se informar sobre os sintomas e adotar medidas de prevenção, as pessoas devem procurar um dermatologista para exames periódicos, pelo menos uma vez ao ano.

Porém, caso o indivíduo note qualquer alteração na pele, ele deve procurar um profissional imediatamente, mesmo que a última visita ao médico tenha sido recente. Vale lembrar ainda que receitas caseiras podem simplesmente adiar o início de um tratamento com grandes chances de sucesso ou mascarar os sintomas, dificultando o processo de cura.

Saiba mais sobre a doença e previna-se.

Quais os tipos de câncer de pele? Eles são divididos em três tipos principais:

Carcinoma Basocelular (foto abaixo) – É o mais frequente e menos agressivo. Consiste em pequeno nódulo, cor rósea, brilhante que cresce lentamente, até virar uma ferida de difícil cicatrização (uma das características do câncer de pele).

Carcinoma Espinocelular (foto abaixo) – Mais agressivo que o primeiro, cresce mais rápido e se ulcera precocemente, iniciando-se como uma crosta ou pequena ferida.

Melanoma Maligno (foto abaixo) – É o tipo mais grave, porém o menos frequente. São lesões pigmentadas (escuras), irregulares que podem “enraizar”, espalhando-se para outras partes do corpo através do sangue e da linfa, atingindo órgãos vitais.

Como identificar os sintomas de um câncer de pele? É preciso estar atento a alguns sinais:

  • Um crescimento na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida;
  • Uma pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;
  • Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Fique de olho nas alterações da sua pele e não hesite em procurar a orientação de um especialista. Isso pode fazer toda a diferença para a sua saúde.

Essa publicação foi atualizada em 30 de janeiro de 2020 13:45

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores.
Caso deseje entrar em contato conosco, escreva para blogdavita@vitaclinica.com.br
Produzido por
Dra. Tallita Rezende

Dermatologista

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

6 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

6 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás