Gordura, sedentarismo e estresse aumentam casos de diabetes

Compartilhe

Novo levantamento feito pelo Ministério da Saúde mostra que o diabetes vem aumentando no país. A pesquisa ouviu 53 mil pessoas por telefone. Entre os jovens, 1% sofre de diabetes, enquanto que, entre os idosos, esse índice apurado foi de 22%.

Além disso, no Brasil, entre 2006 e 2013, o diagnóstico positivo para a doença passou de 5,5% para 6,8% da população.

Não se trata do diabetes congênito (Tipo 1) e, sim, da forma adquirida da doença devido a fatores ambientais (Tipo 2). O problema está diretamente relacionado ao excesso de gordura abdominal, à falta de atividade física e ao estresse.

A gordura abdominal é diretamente relacionada ao surgimento do diabetes.

A mudança de hábitos é, portanto, o mais importante para a prevenção. E o ideal é fazer isso sob acompanhamento profissional, para que as alterações sejam introduzidas de forma segura e dentro das necessidades e capacidades específicas de cada indivíduo.

Pessoas com mais de 60 anos devem procurar prioritariamente o auxílio de um geriatra, estando ou não acima do peso.Já as pessoas que estão abaixo dessa faixa etária devem realizar check-ups anuais a partir dos 25 anos de idade, consultando um cardiologista. Nessas oportunidades, testes sanguíneos são realizados, assim como a observação de fatores de risco tais como a obesidade e a falta de atividades físicas.

POR QUE O DIABETES PODE MATAR

  • Alterações nos vasos sanguíneos dos rins fazem com que ocorra uma perda de proteína pela urina. O órgão pode reduzir a sua função lentamente, mas de forma progressiva, até a sua paralisação total. O quadro é conhecido como nefropatia diabética;
  • Os grandes vasos sanguíneos são afetados pelo alto índice de açúcar no sangue, levando à obstrução (arteriosclerose) de órgãos vitais como o coração e o cérebro. Por isso, pessoas com diabetes não controlado estão especialmente expostas ao risco de infarto do miocárdio e de acidente vascular cerebral (AVC).
  • O excesso de glicose também pode causar danos ao sistema imunológico, aumentando o risco da pessoa com diabetes contrair algum tipo de infecção. Isso ocorre porque os glóbulos brancos (responsáveis pelo combate a vírus, bactérias, etc.) ficam menos eficazes com a hiperglicemia. O alto índice de açúcar no sangue é propício para que fungos e bactérias se proliferem em áreas como boca e gengiva, pulmões, pele, pés, genitais e locais de incisão cirúrgica.

OUTRAS COMPLICAÇÕES

  • Retinopatia diabética: lesões que aparecem na retina do olho, podendo causar pequenos sangramentos e levar à perda de visão;
  • Neuropatia diabética: os nervos ficam incapazes de emitir e receber as mensagens do cérebro, provocando sintomas como formigamento, dormência ou queimação das pernas, pés e mãos;
  • Dores locais e desequilíbrio;
  • Enfraquecimento muscular;
  • Pressão baixa;
  • Distúrbios digestivos;
  • Excesso de transpiração;
  • Impotência;
  • Pé diabético: ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés desenvolve uma úlcera (ferida). Seu aparecimento pode ocorrer quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados. Qualquer ferimento nos pés deve ser tratado rapidamente para evitar complicações que podem levar à amputação do membro afetado.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Sialorreia: um sintoma que precisa ser observado no paciente neurológico

Comum em pacientes com quadros neurológicos, a sialorreia é caracterizada pela dificuldade na retenção e deglutição da saliva ou pela…

1 mês atrás

Tratamentos com toxina botulínica em foco entre Neurologistas Infantis

As terapias realizadas com toxina botulínica na área da Neurorreabilitação têm chamado cada vez mais atenção dos especialistas em Neurologia…

1 mês atrás

Por um olhar mais atento às doenças raras nos atendimentos de Saúde

Enfermeiros de todo o Brasil se reuniram em Salvador (BA), para se aprofundarem em protocolos de atendimento e no conhecimento…

2 meses atrás

Fonoaudióloga da Vita também brilha nos palcos como cantora

A fonoaudióloga Simone Sperança, que integra o Corpo Clínico da Vita e é responsável pelo setor de Audiologia da clínica,…

2 meses atrás

Especialistas da Vita falam no maior evento de Neurologia Infantil do país

Especialistas da Clínica Vita darão palestras e workshops durante o Congresso Brasileiro de Neurologia Infantil, que acontece em Recife, de…

2 meses atrás

Dia da Paralisia Cerebral é celebrado com ações inclusivas em todo o mundo

Especialistas e pacientes da Clínica Vita participam do I Encontro do Dia Mundial da Paralisia Cerebral, em piquenique no Parque…

4 meses atrás