Categorias: DicasNotícias

Mitos sobre espinhas ainda atrasam busca por tratamento adequado

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Compartilhe

Se existe um problema que incomoda muita gente é a tal da espinha. Clinicamente chamada de acne, essa borbulha dolorida e nada estética atinge em cheio cerca de 80% dos adolescentes, e também perturba muita gente na fase adulta, causando inúmeros constrangimentos sociais e, pior, deixando marcas de sua passagem pela face ou, até mesmo, em áreas como costas, colo e nádegas.

A dermatologista Luciana Sansevero, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e integrante do Corpo Clínico da Vita, observa que alguns mitos em torno do assunto levam muitos pacientes a lidarem de forma completamente equivocada com esse quadro.

“As pessoas ainda acreditam, por exemplo, que comer chocolate dá espinhas e que colocar um pouquinho de pasta de dente vai melhorar o problema. Com ideias assim, elas deixam de buscar logo uma avaliação médica para o problema, demorando para entrar em tratamento. A consequência é o aumento do risco de complicações e o surgimento de marcas difíceis, ou até impossíveis, de serem retiradas posteriormente”, relata a especialista.

No caso dos adolescentes, a explosão de hormônios faz com que as glândulas sebáceas aumentem de tamanho e passem a produzir mais sebo. Essa substância, que tem a função de proteger a pele, evitando a perda excessiva de água, quando é produzida em excesso pode ficar acumulada na base do poro e acabar criando um ambiente perfeito para que bactérias se multipliquem, causando os cravos e as espinhas.

Com o passar dos anos, as glândulas sebáceas tendem a regularizar a sua atividade e, assim, a incidência das espinhas diminui. Mas ninguém quer esperar anos a fio até que o problema desapareça por si só, não é mesmo? Além disso, as marcas podem ficar para o resto da vida.

ADULTOS

Luciana destaca ainda que, por diversas razões, adultos também podem vir a ter desequilíbrios hormonais e sofrer com as espinhas. A Síndrome dos Ovários Policísticos, por exemplo, é um dos problemas que mais fazem com que mulheres adultas sejam vítimas da acne.

De acordo com a médica, hoje as alternativas de tratamentos são inúmeras, tanto para frear a proliferação das espinhas ativas, quanto para contornar os prejuízos estéticos das marcas que elas podem deixar.

Para as espinhas ativas, medicações tópicas estão entre as mais utilizadas, junto com cuidados diários de higiene da pele, com o uso de sabonetes bactericidas. Em casos mais severos, medicações orais também podem ser utilizadas – sempre sob rigoroso acompanhamento médico.

Já para tratar as marcas das acnes, os tratamentos a laser são considerados, hoje, excelentes alternativas, apresentando bons resultados, inclusive, para os casos mais drásticos.

SAIBA MAIS SOBRE O TRATAMENTO DA ACNE

– Existem alimentos que podem aumentar a incidência das espinhas? Quais são e por quê?

Não há estudos comprovando a existência de correlação entre dieta e o surgimento de lesões. Portanto, não há necessidade de fazer restrição alimentar alguma para o tratamento da acne.

– Na idade adulta, que problemas podem levar ao surgimento da acne?

Na idade adulta, as mulheres costumam ser as mais afetadas pela acne. A acne da mulher adulta pode estar relacionada a alterações hormonais (principalmente pela Síndrome do Ovário Policístico) e também a algumas razões ambientais, como o uso de maquiagens oleosas e cremes hidratantes que possam, por ventura, acabar alimentando a oleosidade da pele.

– Como deve ser a higienização diária da pele para evitar a acne?

A higienização da pele acneica é feita com sabonete líquido ou em barra, específico para essa finalidade ou, então, algum outro produto de limpeza adequado indicado pelo dermatologista. É importante ressaltar que NÃO há necessidade da pessoa lavar o rosto várias vezes por dia, sendo que essa prática pode, até mesmo, piorar o quadro.

– Pegar sol pode piorar a incidência de espinhas?

Sim, o sol em exagero pode piorar a incidência das acnes. A princípio, o sol mascara a acne, desidratando as glândulas da pele, levando a uma sensação de melhoria no quadro geral. Mas o problema é que o sol também danifica os folículos e causa entupimento dos poros, resultando em mais acne, algumas semanas depois da exposição solar intensa. Vale lembrar que a exposição solar deve ser feita sempre com bom-senso e com a devida fotoproteção, por todas as pessoas, e não somente por aquelas que têm pele acneica.

– As pessoas podem comprar remédios de uso tópico sem consultar antes o médico? Quais os riscos disso?

De maneira alguma a automedicação pode ser feita. O tratamento da doença (sim, a acne é uma doença de pele), assim como o seu correto diagnóstico, devem ser feitos por um dermatologista. O controle e o tratamento da doença não são somente recomendáveis pelas razões estéticas imediatas, mas também devido ao risco do surgimento de cicatrizes, que, em alguns casos, são irreversíveis, e pelo impacto psicológico que todo o quadro acarreta.

– Limpeza de pele, peeling e outros tratamentos dermatológicos contribuem para diminuir a incidência de acne?

O tratamento da acne depende da extensão do quadro e dos tipos de lesões (cravos/espinhas) apresentadas. Nas formas leves, a opção é geralmente pelo tratamento tópico, com medicações à base de peróxido de benzoila, retinoides (tretinoína -adapaleno), antibióticos (clindamicina e eritromicina), e ácido azelaico.

Quando o quadro persiste e torna-se mais grave, associa-se o tratamento por via oral, juntamente com as medicações tópicas.

Em casos em que não há boa resposta aos tratamentos anteriores, pode ser indicado o uso de isotretinoína oral, a partir de uma avaliação atenta do quadro geral de saúde do paciente, para garantir que não há contraindicações a essa substância, que é completamente contraindicada em caso de possibilidade de gravidez, por exemplo.

Tratamentos complementares, como limpezas de pele, peelings químicos, lasers e luzes, são também muito importantes para o controle da acne.

Vale lembrar ainda que o paciente NUNCA deve manipular as lesões e deve procurar fazer uso correto e diário do filtro solar mais indicado para a sua pele, a fim de evitar o surgimento de manchas.

Essa publicação foi atualizada em 24 de agosto de 2019 18:40

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

6 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

6 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás