Categorias: DestaquesDicas

O estresse e outros fatores silenciosos de risco para o coração

Compartilhe

Estar dentro do peso ideal nem sempre significa total isenção de riscos cardiovasculares. Embora a obesidade seja realmente um fator importante a ser combatido, existem outras variáveis para as quais todas as pessoas precisam estar atentas. Vamos falar delas:

ESTRESSE

O estresse é hoje um problema universal que merece atenção. Conviver com ele constantemente predispõe à hipertensão arterial, à hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue), além de espasmos coronarianos (contracções musculares súbitas).

Ter tempo para si mesmo é um importante fator de prevenção.

Ter tempo para relaxar e descansar (a mente, inclusive) é algo tão importante quanto cuidar do peso e do condicionamento físico. Ter uma vida social saudável, cultivar hobbies e realizar atividades que tragam alegria e satisfação é importante para o equilíbrio emocional e uma boa gestão dos níveis de estresse.

SEDENTARISMO

O sedentarismo é considerado um fator de risco importante para o coração. As pessoas que permanecem sedentárias têm maior risco de morte e um risco duas vezes maior de padecer de doenças cardiovasculares, se comparadas a pessoas fisicamente ativas.

Quem se movimenta protege o coração

A prática regular e bem orientada de atividade física, bem como uma alimentação bem balanceada ajudam todo o organismo a funcionar melhor e previnem o desgaste do sistema cardiovascular.  O combate ao sedentarismo também ajuda a controlar bem os níveis de estresse.

TABAGISMO

Fumantes têm cinco vezes mais riscos de sofrer doenças cardíacas. Isso é um aumento muito significativo mesmo!

Parar de fumar é essencial

Embora os ex-fumantes também se mantenham numa zona maior de risco, quanto mais rápido o hábito for interrompido, melhor.

Outro problema associado ao tabagismo está na piora das condições para realizar atividades físicas e combater o sedentarismo. Muitas vezes, a gestão dos níveis de estresse também é mais complicada para essas pessoas.

Fique atento ao seu histórico familiar.

HEREDITARIEDADE

A hereditariedade também precisa ser observada. Ter pais e/ou avós com problemas crônicos ou que morreram do coração são informações que devem ser levadas em conta. Pessoas com esse histórico familiar devem estar ainda mais atentas às medidas preventivas.

EXAMES DE ROTINA

Realize os seus exames de rotina

Os fatores que sobrecarregam o coração podem, muitas vezes, agir de forma silenciosa. Isto é, no dia a dia, a pessoa não sente cansaço, dor ou outro tipo de mal-estar, até ser surpreendida por um mal súbito (que pode ser fatal). Por isso, a recomendação é para que todas as pessoas acima de 25 anos visitem o cardiologista pelo menos uma vez ao ano, para realização de um check-up.

Agende sua consulta com um de nossos especialistas!


* Campos obrigatórios

Recentes

Tratar a depressão inclui o desafio de vencer preconceitos e estigmas

Além do sofrimento causado pela doença, quem sofre de depressão também têm de lidar com o preconceito e com a…

14 horas atrás

Qual é a hora certa de visitar um cardiologista?

Que o cardiologista é o grande amigo do nosso coração, todo mundo já sabe. Mas será que damos mesmo chances…

2 dias atrás

Conheça os principais sintomas da enxaqueca

Muitas pessoas, quando sentem alguma dor de cabeça, dizem logo que estão com enxaqueca. Nas novelas, também são comuns as…

5 dias atrás

Famosos abrem o jogo sobre a depressão

Cada vez mais, celebridades têm vindo a público revelar a luta contra a depressão. Para especialistas no assunto, isso ajuda…

1 semana atrás

Medidas simples que ajudam no controle do colesterol

A tendência hoje é falarmos mais em controle, e não em combate ao colesterol. Você sabe por quê? Porque colesterol…

1 semana atrás

Sarampo: neurologista explica os riscos das sequelas em jovens adultos

Prossegue até o dia 16 deste mês a Campanha de Vacinação contra o Sarampo no Estado de São Paulo. Trata-se…

2 semanas atrás