Categorias: DestaquesNotícias

O que é possível fazer para evitar o câncer

Compartilhe

Risco é o termo usado para definir o nível de probabilidade de uma pessoa sadia, exposta a determinados fatores, adquirir uma determinada doença. Por outro lado, fatores de proteção são aquelas condições, ambientais ou hereditárias, que minimizam essas probabilidades. Quando o assunto é câncer, conhecer e saber trabalhar bem esses dois conceitos (fatores de risco e de proteção) é fundamental. Afinal, por mais avanços científicos que tenhamos alcançado e por mais eficazes que sejam os tratamentos existentes hoje em dia, o melhor meio de combate a essa doença ainda é a prevenção.

Graças a muitos estudos e investigações científicas, atualmente temos diante de nós uma gama de medidas que, comprovadamente, ajudam a deixar as pessoas mais longe dessa patologia.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), por exemplo, a maioria dos casos da câncer está relacionada a fatores ambientais (o que inclui os nossos hábitos e estilos de vida). É claro que, muitas vezes, a questão genética fala mais alto ou, então, outras questões fora do controle do paciente (como uma exposição acidental à radiotividade ou a elementos químicos cancerígenos que contaminem a água, o ar ou o solo) podem acabar desencadeando a doença. Mas, o que mais importa destacar é que, no nosso dia a dia, podemos adotar uma atitude positiva, dizendo “não” aos fatores de risco do câncer e “sim” aos fatores de proteção.

Diferentemente do que muitos pensam, isso não significa levar uma vida de grandes privações. Antes, pelo contrário, significa ganhos imediatos de qualidade de vida. Afinal, alguns hábitos que farão a diferença na proteção contra o câncer a longo prazo, resultam, logo de cara, num organismo mais saudável e bem-disposto.

Falemos então de alguns desses fatores:

Prática regular de atividade física: muitos estudos concluíram que o sedentarismo aumenta a possibilidade de surgimento de alguns tipos de câncer, particularmente do de cólon. Diversos estudos epidemiológicos sugerem, por outro lado, que a atividade física reduz o risco de câncer de uma forma geral. Já foi demonstrado também que o exercício promove a ativação do sistema imunológico em animais, com redução concomitante do crescimento tumoral. E nem é preciso citarmos aqui todos os benefícios imediatos que a prática regular e bem orientada de atividade física traz para o organismo, não é?!

Suspensão do tabagismo: falar da relação entre cigarro e câncer é insistir em uma tecla já bastante gasta. Afinal, hoje em dia, não existem mais desavisados que desconheçam a estreita relação entre cigarro e aumento vertiginoso do risco da doença. Aqui, então, o que vale ressaltar é que ao abandonar o hábito, além diminuir os seus riscos a longo prazo, a pessoa já ganha de imediato mais fôlego, disposição e melhoras nas suas condições globais de saúde. Sem cigarros, tudo melhora!

Consumo de álcool: infelizmente, o risco do consumo regular e exagerado de álcool para o surgimento do câncer não é algo tão difundido quanto o do tabagismo. Mas, sim, o álcool está diretamente relacionado ao aumento dos riscos da doença, e precisamos nos conscientizar disso. O uso contínuo de bebidas alcoólicas está também relacionado a uma grande lista de outras patologias, como as doenças hepáticas, gástricas, neurais, musculares e distúrbios psíquicos. Consumir álcool apenas de forma esporádica ou mesmo eliminar essa substância dos hábitos de consumo é algo para lá de benéfico para a saúde.

Alimentação: muitos componentes da alimentação têm sido associados com o processo do desenvolvimento do câncer, principalmente os de cólon, reto, próstata, esôfago, estômago e mama. Nesse sentido, recomenda-se a ingestão com moderação de: carnes vermelhas e gordurosas, bacon, embutidos de uma forma geral, frituras, molhos à base de maionese e doces. Por outro lado, existem alimentos que, comprovadamente, agem como fatores de proteção anticâncer. Nessa lista estão diversos vegetais, de preferência orgânicos. Podemos dizer, portanto, que uma alimentação bem balanceada e diversificada, que privilegie produtos naturais frescos é um ótimo caminho para a prevenção do câncer. E o benefício imediato de uma dieta assim é também um organismo mais leve e bem-disposto.

Então, fica a dica: dia 27 de novembro é Dia Nacional de Combate ao Câncer, um dia excelente para se tomar a resolução de adotar hábitos diários que podem ajudar a diminuir os riscos da doença e trazer, de imediato, inúmeros outros benefícios para o organismo.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Neuroplasticidade: a incrível capacidade de adaptação do cérebro humano

Que o cérebro humano é um fantástica central de processamento de informações, programação e distribuição de comandos, você certamente já…

4 dias atrás

“Manhãs da Vita”: especialistas esclarecem ao vivo dúvidas sobre temas de saúde

Temos uma novidade para você: a partir deste mês, uma vez por semana, um especialista do nosso Corpo Clínico estará…

2 semanas atrás

AVC: uma pandemia silenciosa

Os acidentes vasculares cerebrais são hoje as principais causas de incapacidade em todo o planeta e a segunda maior causa…

2 semanas atrás

Pandemia aumenta riscos de complicações em pacientes com doenças crônicas

Os riscos da pandemia do novo coronavírus vão muito além da Covid-19. Após quase um semestre de mudanças na rotina…

4 semanas atrás

Covid-19: seis hábitos indispensáveis dentro do chamado “novo normal”

O isolamento social vai sendo afrouxado, mas o novo coronavírus e a Covid-19 ainda são uma realidade a ser enfrentada,…

1 mês atrás

Cuidados para que o isolamento social não se transforme em solidão e abandono para os idosos

Mesmo com a tendência atual de governos e sociedades afrouxarem a quarentena, a população idosa segue sob a recomendação de…

1 mês atrás