Categorias: Notícias

Ortopedista indica hábitos que protegem os ossos

Compartilhe

A imensa maioria das pessoas já ouviu falar na osteoporose e sabe que ela está ligada ao avanço da idade. O que poucos sabem é que as fraturas mais comuns em decorrência dessa condição ocorrem na coluna vertebral.

Além disso, uma grande parcela da população ainda não está ciente das medidas importantes para proteger e fortalecer os ossos. O alerta vem do ortopedista e especialista em cirurgia da coluna Guilherme Foizer.

O médico explica que a Osteoporose é, basicamente, a perda da qualidade do osso. A “arquitetura” óssea acaba ficando mais fraca porque a quantidade de massa óssea diminui, dando origem a ossos ocos, mais finos e também mais frágeis e susceptíveis a fraturas.

A doença atinge mais as mulheres após a menopausa e aos homens após os 70 anos de idade. Trata-se de um quadro crônico, que age silenciosamente e sem dor – até que ocorra a fratura.

Por causa de suas características estruturais, compostas pelo encadeamento de vértebras e discos, a coluna vertebral fica especialmente exposta a riscos de lesões em pacientes que desenvolvem a Osteoporose. Levantar pequenos pesos e flexionar o corpo, por exemplo, são situações cotidianas que podem acabar resultando em fraturas.

Pessoas que já tenham o diagnóstico de Osteoporose devem tomar alguns cuidados adicionais para evitar quedas e traumas, tais como:

– Usar sempre calçados com sola de borracha;

– Procurar apoio de bengalas, quando o paciente tiver dificuldades para andar;

– Evitar pisos e calçados escorregadios;

– Evitar andar de meias; usar barras de apoio e tapetes de borracha no banheiro;

– Deixar algumas luzes acesas na casa à noite para ajudar na locomoção;

– Evitar tapetes e objetos que facilitam tropeços.

Mesmo as pessoas que não têm nenhum problema nos ossos devem estar atentas aos fatores preventivos contra a Osteoporose, desde cedo. São eles:

Dieta rica em cálcio (presente em alimentos como leite e derivados, espinafre, agrião, couve manteiga entre outros) e com moderado consumo de cafeína e álcool;

Exposição ao sol pelo menos 2 horas por semana (antes das 10h e depois das 15h ), a fim de estimular a produção de vitamina D pelo organismo, uma vez que sem essa substância a absorção do cálcio é ineficiente;

Prática regular de atividades físicas;

Abstenção de cigarro.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Pacientes sofrem mais com crises de enxaqueca durante a pandemia

Maiores níveis de estresse, tensão e ansiedade, junto com as alterações na rotina, têm propiciado ambiente ideal para agravamento das…

2 semanas atrás

Atendimento rápido e monitoramento diminuem índices de morte pela Covid-19

Quase um semestre após a primeira identificação do novo coronavírus, e com muito ainda por se descobrir sobre a sua…

3 semanas atrás

Médicos dão dicas sobre cuidados de saúde importantes durante a quarentena

Sabe aquela história de “fazer do limão uma limonada”? Quem entende de saúde e de qualidade de vida propõe justamente…

4 semanas atrás

Lives tiram dúvidas sobre autismo e outros quadros, em tempos de quarentena

Muito ativa nas redes sociais, a neurologista infantil e neurofisiologista Simone Amorim, diretora da Clínica Vita, está atenta à tendência…

1 mês atrás

Incidência de Transtorno do Espectro Autista segue em crescimento

A prevalência de indivíduos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) segue crescendo! As últimas estatísticas americanas mostram uma prevalência de…

2 meses atrás

Por que todos devem usar máscaras?

Em se tratando de fórmulas para o combate ao novo coronavírus, existem poucas certezas absolutas neste momento. O uso de…

2 meses atrás