Categorias: Notícias

Ortopedista indica hábitos que protegem os ossos

Compartilhe

A imensa maioria das pessoas já ouviu falar na osteoporose e sabe que ela está ligada ao avanço da idade. O que poucos sabem é que as fraturas mais comuns em decorrência dessa condição ocorrem na coluna vertebral.

Além disso, uma grande parcela da população ainda não está ciente das medidas importantes para proteger e fortalecer os ossos. O alerta vem do ortopedista e especialista em cirurgia da coluna Guilherme Foizer.

O médico explica que a Osteoporose é, basicamente, a perda da qualidade do osso. A “arquitetura” óssea acaba ficando mais fraca porque a quantidade de massa óssea diminui, dando origem a ossos ocos, mais finos e também mais frágeis e susceptíveis a fraturas.

A doença atinge mais as mulheres após a menopausa e aos homens após os 70 anos de idade. Trata-se de um quadro crônico, que age silenciosamente e sem dor – até que ocorra a fratura.

Por causa de suas características estruturais, compostas pelo encadeamento de vértebras e discos, a coluna vertebral fica especialmente exposta a riscos de lesões em pacientes que desenvolvem a Osteoporose. Levantar pequenos pesos e flexionar o corpo, por exemplo, são situações cotidianas que podem acabar resultando em fraturas.

Pessoas que já tenham o diagnóstico de Osteoporose devem tomar alguns cuidados adicionais para evitar quedas e traumas, tais como:

– Usar sempre calçados com sola de borracha;

– Procurar apoio de bengalas, quando o paciente tiver dificuldades para andar;

– Evitar pisos e calçados escorregadios;

– Evitar andar de meias; usar barras de apoio e tapetes de borracha no banheiro;

– Deixar algumas luzes acesas na casa à noite para ajudar na locomoção;

– Evitar tapetes e objetos que facilitam tropeços.

Mesmo as pessoas que não têm nenhum problema nos ossos devem estar atentas aos fatores preventivos contra a Osteoporose, desde cedo. São eles:

Dieta rica em cálcio (presente em alimentos como leite e derivados, espinafre, agrião, couve manteiga entre outros) e com moderado consumo de cafeína e álcool;

Exposição ao sol pelo menos 2 horas por semana (antes das 10h e depois das 15h ), a fim de estimular a produção de vitamina D pelo organismo, uma vez que sem essa substância a absorção do cálcio é ineficiente;

Prática regular de atividades físicas;

Abstenção de cigarro.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Vida social mais ativa estimula massa cinzenta no cérebro do idoso

Um estudo recente, divulgado pela Universidade de Pittsburgh (EUA), mostrou que uma vida social ativa tem impacto direto na manutenção…

4 dias atrás

Você sabia que existe um médico especialista em dor?

Sim, existe um Dia Mundial de Combate à Dor e ele é assinalado agora, a 17 de outubro. Estima-se que…

1 mês atrás

Música traz benefícios diretos para o Processamento Auditivo Central (PAC)

Muitas pessoas nem sequer desconfiam que têm o Transtorno do Processamento Auditivo Central, mas enfrentam diversos prejuízos por causa disso,…

2 meses atrás

Neuroplasticidade: a incrível capacidade de adaptação do cérebro humano

Que o cérebro humano é um fantástica central de processamento de informações, programação e distribuição de comandos, você certamente já…

4 meses atrás

“Manhãs da Vita”: especialistas esclarecem ao vivo dúvidas sobre temas de saúde

Temos uma novidade para você: a partir deste mês, uma vez por semana, um especialista do nosso Corpo Clínico estará…

4 meses atrás

AVC: uma pandemia silenciosa

Os acidentes vasculares cerebrais são hoje as principais causas de incapacidade em todo o planeta e a segunda maior causa…

4 meses atrás