Categorias: Notícias

Ortopedista indica hábitos que protegem os ossos

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Compartilhe

A imensa maioria das pessoas já ouviu falar na osteoporose e sabe que ela está ligada ao avanço da idade. O que poucos sabem é que as fraturas mais comuns em decorrência dessa condição ocorrem na coluna vertebral.

Além disso, uma grande parcela da população ainda não está ciente das medidas importantes para proteger e fortalecer os ossos. O alerta vem do ortopedista e especialista em cirurgia da coluna Guilherme Foizer.

O médico explica que a Osteoporose é, basicamente, a perda da qualidade do osso. A “arquitetura” óssea acaba ficando mais fraca porque a quantidade de massa óssea diminui, dando origem a ossos ocos, mais finos e também mais frágeis e susceptíveis a fraturas.

A doença atinge mais as mulheres após a menopausa e aos homens após os 70 anos de idade. Trata-se de um quadro crônico, que age silenciosamente e sem dor – até que ocorra a fratura.

Por causa de suas características estruturais, compostas pelo encadeamento de vértebras e discos, a coluna vertebral fica especialmente exposta a riscos de lesões em pacientes que desenvolvem a Osteoporose. Levantar pequenos pesos e flexionar o corpo, por exemplo, são situações cotidianas que podem acabar resultando em fraturas.

Pessoas que já tenham o diagnóstico de Osteoporose devem tomar alguns cuidados adicionais para evitar quedas e traumas, tais como:

– Usar sempre calçados com sola de borracha;

– Procurar apoio de bengalas, quando o paciente tiver dificuldades para andar;

– Evitar pisos e calçados escorregadios;

– Evitar andar de meias; usar barras de apoio e tapetes de borracha no banheiro;

– Deixar algumas luzes acesas na casa à noite para ajudar na locomoção;

– Evitar tapetes e objetos que facilitam tropeços.

Mesmo as pessoas que não têm nenhum problema nos ossos devem estar atentas aos fatores preventivos contra a Osteoporose, desde cedo. São eles:

 Dieta rica em cálcio (presente em alimentos como leite e derivados, espinafre, agrião, couve manteiga entre outros) e com moderado consumo de cafeína e álcool;

 

Exposição ao sol pelo menos 2 horas por semana (antes das 10h e depois das 15h ), a fim de estimular a produção de vitamina D pelo organismo, uma vez que sem essa substância a absorção do cálcio é ineficiente;

Prática regular de atividades físicas;

 

Abstenção de cigarro.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

6 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

6 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás