Toxina botulínica é uma arma eficaz contra a enxaqueca

Compartilhe

Simone Amorim,
Neurologista infantil

Sofro de enxaqueca desde sempre. Talvez por isso é que, como médica, também tenha me interessado sobre a terapêutica com toxina botulínica do tipo A (TBA) para o tratamento desse problema.

Trabalho já há alguns anos com o uso da toxina botulínica em pacientes, adultos e crianças, com comprometimento na área neurológica. Essa foi a minha primeira aproximação com a toxina, que comprovadamente traz resultados efetivos e seguros a esses grupos de pacientes.

Com essa prática, veio o contato com estudos científicos e palestras que relatam o sucesso da terapêutica também com enxaquecosos e, a partir daí, me especializei cada vez mais nesse procedimento.

Quando falamos no tratamento com a toxina, a primeira grande curiosidade das pessoas é a de entender como isso pode ser possível, já que a substância está  ainda muito associada ao tratamento estético, no imaginário coletivo. Afinal, a TBA é famosa pelo seu mais famoso nome comercial: Botox.

Entretanto, outras marcas também existem no mercado. E muita gente acredita que seu uso é somente dermatológico. Mas o seu uso na medicina vai bem mais além disso.

No caso do tratamento da enxaqueca, quando aplicada em alguns músculos específicos da cabeça e região da nuca, a toxina botulínica promove a redução da liberação de neurotransmissores responsáveis pelos mecanismos de dor (como o glutamato e a substância P). Ela também reduz a liberação de uma substância chamada acetilcolina e, com isso, “bloqueia” o impulso nervoso entre as células do cérebro (os neurônios) e o músculo (a parte onde ocorre a sensação de dor).

Assim, a diminuição da dor é feita a partir desse mecanismo, que reduz as contrações musculares e as substâncias que promovem dor. O protocolo de aplicação inclui cerca de 30 pontos, distribuídos em músculos da cabeça (regiões frontal, temporo-parietal e occipital) e pescoço, que podem variar de acordo com o tipo de dor de cada paciente.

Alguns pontos da cabeça onde a toxina botulínica pode ser aplicada para o tratamento da enxaqueca. Fonte da Imagem: Jornal O Dia.

Os volumes injetados são da ordem de 0,1 a 0,2ml por ponto de aplicação e a agulha utilizada também é aquela bem pequena, como as de injeções intradérmicas. Em princípio, esse tratamento tem poucas contraindicações e o grupo de gestantes é o mais referido, devido ainda à falta de estudos junto a esse grupo.

A terapêutica com Botox é usada para evitar que as dores surjam durante um determinado período de tempo. O efeito dura, em média, quatro a seis meses, variando para mais ou para menos, de paciente para paciente.

Assim, durante o período em que as crises cessam ou diminuem em frequência e intensidade, o paciente vivencia uma importante fase para a reprogramação de hábitos e a introdução de novos estilos de vida que poderão afastar ainda mais as crises de sua rotina no futuro, tornando a necessidade de novas aplicações cada vez mais espaçadas.

O controle da alimentação e do sono e a gestão do estresse são fatores que fazem toda a diferença para quem quer controlar a enxaqueca. Cada caso deve ser estudado individualmente, mas já está comprovado que uma dieta saudável, uma rotina estável, assim como a prática regular de atividade físicas colaboram significativamente para a melhoria do quadro.

Essa publicação foi atualizada em 25 de agosto de 2019 09:18

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores.
Caso deseje entrar em contato conosco, escreva para blogdavita@vitaclinica.com.br
Produzido por
Dra. Simone Amorim

Neurofisiologista e Neurologista Infantil

Recentes

Pandemia aumenta riscos de complicações em pacientes com doenças crônicas

Os riscos da pandemia do novo coronavírus vão muito além da Covid-19. Após quase um semestre de mudanças na rotina…

4 dias atrás

Covid-19: seis hábitos indispensáveis dentro do chamado “novo normal”

O isolamento social vai sendo afrouxado, mas o novo coronavírus e a Covid-19 ainda são uma realidade a ser enfrentada,…

1 semana atrás

Cuidados para que o isolamento social não se transforme em solidão e abandono para os idosos

Mesmo com a tendência atual de governos e sociedades afrouxarem a quarentena, a população idosa segue sob a recomendação de…

2 semanas atrás

Pandemia também põe em risco a saúde mental

A pandemia de Covid-19 também tem causado danos à saúde mental das pessoas. O cenário que envolve riscos biológicos, drásticas…

3 semanas atrás

Pacientes sofrem mais com crises de enxaqueca durante a pandemia

Maiores níveis de estresse, tensão e ansiedade, junto com as alterações na rotina, têm propiciado ambiente ideal para agravamento das…

1 mês atrás

Atendimento rápido e monitoramento diminuem índices de morte pela Covid-19

Quase um semestre após a primeira identificação do novo coronavírus, e com muito ainda por se descobrir sobre a sua…

2 meses atrás