Blog da Vita

Tratamento a laser proporciona rejuvenescimento à pele

2015-09-20T00:00:00+00:00 20 de setembro de 2015|Artigos|0 Comments

Dra. Tallita Rezende,
Dermatologista

Neste nosso terceiro artigo da série sobre tratamentos a laser, vamos falar sobre o conceito de Resurfacing, que compreende precisamente em fazer surgir uma nova superfície da pele.

No passado, esse procedimento exigia internação e sedação total do paciente, mas, hoje em dia, por meio de equipamentos de lasers fracionados, esse procedimento é realizado em algumas sessões, em consultórios de Dermatologia.

Durante o procedimento, o feixe de luz do raio-laser é separado em vários microfeixes, como se fosse um chuveiro. Com isso, o disparo atinge “micropedaços” da pele, deixando ilhas de pele intacta ao redor das áreas tratadas, que vão estimular a cicatrização das colunas de tecido atingidos.

rejuvenescimentoAo propiciar uma verdadeira renovação da pele, o Resurfacing oferece os melhores resultados para o rejuvenescimento facial, amenizando significativamente as rugas, melhorando a aparência de poros dilatados e também amenizando manchas senis. Essa técnica estimula intensamente a formação de colágeno na derme, contribuindo para um aspecto menos flácido.

Quando o objetivo é a eliminação de cicatrizes de acne, essa técnica também costuma propiciar excelentes resultados.

É importante salientar que esses procedimentos só devem ser realizados pelo médico dermatologista. Além de exigir precisão e conhecimento das estruturas epiteliais, por parte do profissional que irá conduzir o procedimento, o Resurfacing requer a prescrição de uma preparação da pele pelo paciente, durante alguns dias, visando a sua proteção e a otimização dos resultados, assim como cuidados posteriores que devem ser seguidos com rigor.

Saiba mais sobre o Resurfacing:

  • Antes de realizar o procedimento, o dermatologista irá fazer uma criteriosa avaliação, para verificar o grau de envelhecimento em que a pele se encontra (rugas, manchas, flacidez, etc) e as suas características gerais para determinar se esse o paciente tem os pré-requisitos para se submeter ao procedimento;
  • Embora o procedimento possa ser usado para acabar com marcas de acne, peles acneicas (com acnes ativas) não devem ser submetidas ao tratamento;
  • O tratamento deve ser realizado com cautela em peles morenas;
  • Nas semanas anteriores ao procedimento, o médico irá prescrever o uso de medicações tópicas para preparar a pele;
  • Após o procedimento, a pele passará por um processo de cicatrização, exigindo a continuidade do uso de medicamentos tópicos e restrição à exposição solar;
  • Os efeitos benéficos do Resurfacing vão surgindo com o tempo, por meio da renovação celular da pele. Por isso, durante o tratamento, o paciente pode sentir a pele um pouco mais sensível e, até mesmo, avermelhada;
  • Os resultados benéficos do procedimento são sentidos por um período de até um ano, podendo esse período ser até maior, conforme os cuidados diários que o paciente adotar para a manutenção de uma pele saudável.
  • Com o processo natural de envelhecimento do organismo, é esperável que rugas e sinais de senilidade voltem a aparecer, exigindo a realização de um novo procedimento.

Para garantir resultados eficazes e ter a tranquilidade de estar sendo submetido a procedimentos seguros, procure SEMPRE um dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Busque se informar sobre as expertises do profissional de sua escolha. Para a realização de tratamentos estéticos, é fundamental poder contar com quem está comprometido, acima de tudo, com a sua saúde!

*Dra. Tallita Rezende é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), e escreve quinzenalmente para o Blog da Vita.

Leave A Comment