Categorias: ArtigosNeurologia

Uso precoce de toxina ajuda crianças com paralisia cerebral

Compartilhe

Paralisia cerebral é um diagnóstico neurológico prevalente e muito frequente nos consultórios de Neurologia Infantil, em todo o mundo. As crianças acometidas podem  apresentar  quadros de atraso no desenvolvimento motor e cognitivo, espasticidade (contração exagerada e involuntária dos músculos), sialorreia (salivação excessiva), alterações comportamentais, distúrbios auditivos e visuais,  epilepsia, sintomas estes que são altamente comprometedores da sua qualidade de vida e do processo de reabilitação.

A espasticidade é um dos sintomas mais recorrentes. Originado de uma desordem neurológica por lesão das células cerebrais (os neurônios), onde existe uma perda da inibição cortical que leva a uma hipertonia (aumento do tônus muscular) com elevada contração mantida do músculo, o quadro leva a grande limitação de movimentos do(s) membro(s) afetado(s), causa dores e também eleva o gasto de energia para a realização de tarefas diversas.

Hoje, o consenso mundial para o tratamento da espasticidade diz que a intervenção deve ser o mais precoce possível, com medicações orais e também com a toxina botulínica, que é considerada o “padrão ouro” no tratamento desse sintoma.

A aplicação deve ser realizada tão logo se perceba a hipertonia muscular e se confirme o diagnóstico.

A intervenção visa reduzir a contração muscular, aumentar a amplitude dos movimentos, reduzir o gasto energético e evitar as deformidades de ossos e articulações, prevenindo assim as deformidades fixas que podem ocorrer a longo prazo, conforme verificado em crianças não tratadas.

A sialorreia também é outro sintoma que encontra controle muito eficaz no tratamento com a toxina botulínica, beneficiando a segurança (diminuindo riscos de engasgos), o conforto e o manejo do paciente.

Além disso, é muito importante que a criança com paralisia cerebral seja acompanhada por uma equipe multidisciplinar (médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, etc.).

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Pandemia aumenta riscos de complicações em pacientes com doenças crônicas

Os riscos da pandemia do novo coronavírus vão muito além da Covid-19. Após quase um semestre de mudanças na rotina…

4 dias atrás

Covid-19: seis hábitos indispensáveis dentro do chamado “novo normal”

O isolamento social vai sendo afrouxado, mas o novo coronavírus e a Covid-19 ainda são uma realidade a ser enfrentada,…

1 semana atrás

Cuidados para que o isolamento social não se transforme em solidão e abandono para os idosos

Mesmo com a tendência atual de governos e sociedades afrouxarem a quarentena, a população idosa segue sob a recomendação de…

2 semanas atrás

Pandemia também põe em risco a saúde mental

A pandemia de Covid-19 também tem causado danos à saúde mental das pessoas. O cenário que envolve riscos biológicos, drásticas…

3 semanas atrás

Pacientes sofrem mais com crises de enxaqueca durante a pandemia

Maiores níveis de estresse, tensão e ansiedade, junto com as alterações na rotina, têm propiciado ambiente ideal para agravamento das…

1 mês atrás

Atendimento rápido e monitoramento diminuem índices de morte pela Covid-19

Quase um semestre após a primeira identificação do novo coronavírus, e com muito ainda por se descobrir sobre a sua…

2 meses atrás