Neurorreabilitação 2018-06-18T10:40:49+00:00

Qualidade de vida para
o paciente crônico:

Tratamentos individualizados,

conduzidos de forma inter
e multidisciplinar.

Neurorreabilitação

O que é Neurorreabilitação?

A Neurorreabilitação é um processo de assistência global e dinâmica ao paciente neurológico crônico, com abordagens orientadas para melhorar as suas condições físicas e psicológicas, tendo em vista a sua reintegração social e, quando há possibilidade, o ganho de autonomia, dentro das capacidades de cada indivíduo.

O conceito de Neurorreabilitação é relativamente novo na Medicina e está associado a uma ideia mais ampla de saúde e de qualidade de vida, no qual o diagnóstico de um quadro crônico e/ou degenerativo não é mais aceito como uma sentença de isolamento ou vida vegetativa. As diversas alternativas terapêuticas disponíveis hoje em dia no campo da Neurorreabilitação, distribuídas entre várias especialidades e subespecialidades, possibilitam inúmeras possibilidades de um trabalho inter e multidisplinar junto ao paciente, sempre dentro de um plano de ação individualizado para cada caso.

No universo da Neurorreabilitação, o tratamento com Botox surge como ponto-chave. Ao proporcionar ao paciente melhores condições físicas para as diversas abordagens, o tratamento com Botox é, na verdade, um grande aliado dos processos terapêuticos – que podem passar pelas mais diversas áreas: Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Terapias Cognitivas (na área da Neuropsicologia), Psicoterapias, etc.

Cabe ressaltar, entretanto, que as terapêuticas com toxina botulínica são sempre conduzidas por médicos com as devidas habilitações nessa área (neurologista, neurologista infantil ou fisiatra) e que avaliação e o acompanhamento pelo neurologista e/ou neurologista infantil é o ponto de partida para um plano de tratamento assertivo e eficiente no campo da Neurorreabilitação.

Saiba mais

As áreas e especialidades envolvidas em um plano de tratamento no campo da Neurorreabilitação podem ser as mais diversas. Afinal, tudo o que beneficia e/ou estimula o paciente do ponto de vista físico, intelectual, psicológico e emocional é muito bem-vindo. Entretanto, programa de Neurorreabilitação exige sempre a avaliação e a condução por um neurologista ou neurologista infantil. A partir daí, diversos outros especialistas e profissionais de saúde poderão ser acionados, com especial destaque para os seguintes: enfermeiros, fisiatras,  fisioterapêutas, fonoaudiólogos, neuropsicólogos,  nutricionistas, psicólogos, e terapêutas ocupacionais.
Não. A avaliação individualizada do quadro clínico do paciente, do seu histórico e de toda a sua conjuntura são fundamentais para estabelecer as propostas terapêuticas mais viáveis e prioritárias. O acompanhamento da evolução do caso e a observação atenta das respostas dadas por cada indivíduo também são fundamentais para as adaptações e inclusão de abordagens que podem ser feitas ao longo de um programa de Neurorreabilitação.
Em um programa de Neurorreabilitação, o objetivo número um é a oferta de melhores condições físicas, mentais, psicológicas e emocionais para o paciente, dentro de suas condições, contribuindo diretamente para ganhos na qualidade de vida, tão grande quanto forem possíveis dentro da realidade de cada caso. Portanto, as expectativas possíveis em um programa de Neurorreabilitação variam muito de paciente para paciente, mas, de uma maneira geral, as abordagens visam:
  • Mais conforto físico para as rotinas diárias;
  • Ganhos de autonomia e/ou de melhores condições de manejo pelos cuidadores;
  • Melhoria dos sintomas físicos e/ou cognitivos relacionados ao quadro neurológico;
  • No caso dos quadros neurodegenerativos, adiamento de perdas funcionais e cognitivas pelo maior tempo possível;
  • Maior inserção e interação social, dentro das possibilidades de cada quadro;
  • Ganhos psicológicos e emocionais que, em geral, impactam também no convívio familiar
O tratamento com Botox no universo da Neurorreabilitação, em inúmeros casos, figura como um ponto-chave do processo, uma vez que essa terapêutica propicia grande melhoria nas condições físicas gerais dos pacientes com comprometimentos neuromusculares, permitindo melhores respostas a diversas outras abordagens terapêuticas (como os processos de Fisioterapia, Fonoterapia, Terapia Ocupacional, etc.)
Não. A indicação para o tratamento com Botox no campo da Neurorreabilitação acontece somente nos casos em que há comprometimento do ponto de vista neuromuscular. Sendo assim, existem diversos pacientes que necessitam de acompanhamento na área da Neurorreabilitação, mas que não têm indicação ou necessidade do tratamento com Botox. Tudo depende da avaliação geral do quadro feita pelo neurologista ou neurologista infantil. Muitas vezes, outros profissionais que recebem o paciente em seus consultórios para a condução de terapias diversas, também se atentam para a possibilidade de indicação para as terapêuticas com toxina botulínica e fazem o encaminhamento para a avaliação pelo especialista na área.

Praticamente todas as doenças que causem danos e sequelas neurológicas para o paciente, seja no plano físico, mental ou cognitivo. Temos aí então os quadros de ordem genética, as sequelas de quadros infecciosos, as complicações de parto, os traumas cerebrais e os doenças neurodegenerativas em geral. A título de exemplo, podemos citar:

  • Paralisia cerebral;
  • Microcefalia;
  • Síndromes metabólicas em geral;
  • Doença de Parkinson;
  • Mal de Alzheimer;
  • Esclerose lateral amiotrófica (ELA);
  • Esclerose múltipla;
  • Doenças neurodegenerativas em geral;
  • Sequelas de acidente vascular cerebral (AVC).

Tire suas dúvidas