Por Tallita Rezende,
Dermatologista

As marcas de expressão que aparecem na face na forma de sulcos ou rugas são provocadas pela ação dos músculos da face. O que acontece ao longo do tempo é que o músculo, sendo contraído repetidas vezes, fica hipertrofiado – e esta hipertrofia revela-se de forma muito marcada no momento da expressão e permanece, um pouco menos marcada, mesmo quando não se está contraindo a região.

Com o passar do tempo, e com a instalação do processo de envelhecimento, a pele se “quebra” e as rugas ficam mais acentuadas e marcadas. Além disso, a ação da luz solar, provocando o fotoenvelhecimento, tira a elasticidade e todo esse processo se acentua, dando um aspecto envelhecido à pele do rosto.

O uso de toxina botulínica para o tratamento de rugas tornou-se muito popular nos últimos anos. Por isso, é importante conhecer o embasamento científico, ou seja, a técnica empregada e os cuidados que devem acompanhar esse procedimento médico.

A toxina botulínica é produzida pela bactéria Clostridium botulinum e provoca relaxamento muscular por meio da inibição de uma substância química chamada acetilcolina na junção entre o nervo e o músculo (placa neuromuscular). Ela vem sendo usada, desde os anos 80, para tratamento de doenças neurológicas e oftalmológicas em que ocorre contração incontrolada ou exagerada da musculatura (tiques, paralisia cerebral, espasmos, etc.).

A utilização da toxina botulínica na Dermatologia iniciou-se na década de 90, promovendo a melhoria das rugas de expressão por meio de relaxamento de músculos específicos. Trata-se de um procedimento seguro, pois a dose necessária para causar efeitos tóxicos precisa ser mil vezes maior do que a usada habitualmente num procedimento cosmético. A ação da toxina é localizada, provocando uma “paralisia” muscular, que permanece de 2 a 6 meses.

A ação da toxina botulínica inicia-se após 48 horas do procedimento, atingindo o resultado máximo em até 15 dias. O músculo reage com relaxamento, sem mudança na sensibilidade cutânea.

A avaliação para a indicação estética, assim como a administração da substância, sempre dependem de uma análise criteriosa por parte do seu dermatologista de confiança.

Algumas indicações comuns:

1. Ruga de severidade entre as sobrancelhas.
2. Rugas de espanto na testa.
3. Pés-de-galinha na área dos olhos.
4. Levantamento das sobrancelhas.
5. Abertura dos olhos (ocidentalização das orientais).
6. Levantamento do nariz.
7. Melhora das rugas peribuicais nos fumantes.
8. Levantamento do canto da boca.
9. Diminuição do sorriso gengival.
10. Pescoço: diminuição da flacidez e diminuição das rugas horizontais.
11. Colo: diminuição das rugas do V do decote.
12. Hiper-hidrose nas axilas, mãos e pés (diminuição do excesso de suor).