Categorias: Artigos

Cuidados com os pequeninos no verão

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Compartilhe

 

Chapéus ajudam a proteger uma área maior da pele da criança, como as orelhas e parte dos ombros.

Ana Catarina Lunz Macedo, pediatra e nefrologista infantil.

Férias e verão representam uma combinação perfeita para toda família. Mas, para nada atrapalhar o lazer, alguns cuidados são fundamentais. A exposição solar excessiva pode trazer danos definitivos à pele.

A radiação ultravioleta solar é composta pela radiação ultravioleta A (UVA), ultravioleta B (UVB) e ultravioleta (UVC). A radiação UVC não consegue atingir a superfície da Terra. As radiações UVA podem ser absorvidas na pele, induzindo reações inflamatórias e danos no DNA celular. As radiações UVB constituem menos de 0,5% da radiação que alcança a superfície da Terra, mas são responsáveis pela maioria dos prejuízos agudos e crônicos. Mais de 90% dos cânceres de pele do tipo célula escamosa e célula basal podem ser atribuídos à exposição solar da pele aos raios UVB.

Mas o Sol não é apenas um vilão, ele é necessário, a curtas exposições e em horários adequados, para que o nosso organismo possa produzir a vitamina D, indispensável para a saúde. Então, qual deve ser o grau de proteção do filtro solar? E o melhor horário?

Vamos lá:

  • Bebês até 6 meses de idade têm a pele muito sensível. A recomendação é de sol por apenas 15 minutos diários, antes das 9h ou após a 16h (ou antes das 10h e após às 17h, no horário de verão). Os protetores solares não são recomendados para essa faixa etária, portanto, lugar de bebê é na sombra!
  • Para as crianças, existem os protetores apropriados para a pele infantil. O fator de proteção solar deve ser no mínimo 30, e os produtos na forma de creme ou loção permitem uma camada mais espessa e homogênea. O protetor solar deve ser usado de forma generosa (sem economia!!!).
  • O protetor deve ser passado 30 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada 2 horas, ou antes, se exposição prolongada a água, natação ou transpiração excessiva, ou após secar-se com a toalha. Não esquecer de aplicar protetor nas áreas como dorso dos pés, pescoço e orelhas, que são frequentes alvos de queimaduras solares.
  • O horário recomendado para as crianças também é antes das 9h ou após as 16h (ou antes das 10h e após às 17h, no horário de verão).
  • Chapéus são sempre mais adequados que bonés, pois cobrem o pescoço e as orelhas, e o uso dos óculos de sol completa a proteção aos olhos.
  • Quando o sol é inevitável nos horários nocivos, vale também usar blusas e mesmo calças de tecidos leves de algodão.
  • As barracas devem ser escolhidas com cuidado, pois barracas de nylon permitem a passagem de até 95% dos raios UV, enquanto que as de algodão ou de lona podem bloqueá-los em até 50%.  Lembrar que a barraca sozinha não oferece proteção suficiente, pois a areia e a água funcionam como “espelhos”, refletindo até 85% da luz solar!
  • E para aproveitar ainda mais tudo que o verão pode oferecer, sem ter que voltar antes para casa, lembre sempre que hidratação é fundamental! Dê bastante líquido aos pequeninos: água, água de coco e sucos naturais ajudam a repor líquidos e sais minerais que o corpo perde no suor. Prefira alimentos leves e nutritivos e fique atento à procedência dos alimentos, pois no verão e principalmente na praia, são mais comuns os surtos de gastroenterite aguda viral.

Aproveite, e curta com as crianças o melhor do verão!

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Paralisia Cerebral: desafios e principais caminhos terapêuticos

A Paralisia Cerebral apresenta características e necessidades individualizadas, que exigem acompanhamento multidisciplinar e ajustado para cada caso. Veja as abordagens…

8 meses atrás

Como a Neuromodulação tem beneficiado pacientes com diversas condições

A Neuromodulação não invasiva tem ajudado pacientes com as mais diversas condições. O procedimento promove a plasticidade cerebral, através da…

9 meses atrás

Critérios para garantir uma aplicação segura de toxina botulínica

Hoje em dia, quase todo mundo já ouviu falar sobre os benefícios terapêuticos da toxina botulínica. Assim como já ocorreu…

1 ano atrás

Sinais, diagnóstico e tratamento da espasticidade na criança

Agora, uma conversa com pais e familiares. Espasticidade é o nome de um sintoma muito prevalente em crianças com comprometimentos…

1 ano atrás

Toxina botulínica: treinamentos com aulas práticas e estudos de casos na Clínica Vita

Não é por acaso que a Clínica Vita é atualmente o maior serviço privado do país na terapêutica com toxina…

1 ano atrás

Clínica Vita abre suas instalações para treinar médicos na terapêutica com toxina botulínica

Clínica Vita oferece treinamento a médicos de todo o país interessados na terapêutica com toxina botulínica na área neurológica. O…

1 ano atrás