Categorias: ArtigosNeurologia

Sialorreia: um sintoma que precisa ser observado no paciente neurológico

Compartilhe

No meu último texto por aqui, comentei sobre algumas aulas dadas sobre o tratamento da espasticidade com o uso de toxina botulínica. E, ainda na sequência desses encontros com especialistas, hoje eu gostaria de compartilhar com vocês um outro tema, sobre o qual também tive a oportunidade de falar a neurologistas, neurocirurgiões e fisiatras, em eventos recentes: o tratamento da sialorreia em pacientes infantis e adultos.

Aula para colegas no Amazonas: terapias de ponta hoje estão cada vez mais acessíveis para os quadros neurológicos crônicos

É sempre um prazer poder falar a outros médicos e demais profissionais de saúde sobre as diversas indicações da toxina botulínica na Neurologia. Pois a disseminação desses tratamentos e a sua indicação precoce têm impactado muito o panorama dos quadros crônicos, oferecendo prognósticos bem melhores aos nossos pacientes.

A sialorreia está presente em diversos quadros neurológicos, sendo caracterizada pela dificuldade de reter e engolir a saliva, ou mesmo pela salivação excessiva, causada pelo uso de determinadas medicações. Na infância, esse sintoma é muito prevalente nos quadros de paralisia cerebral. Já nos adultos, a Doença de Parkinson é o quadro geralmente mais associado a esse problema.

Em ambas as situações, o paciente tem uma incoordenação para deglutir (engolir) a saliva que produz e também tem uma fraqueza dos músculos da região perioral (em volta da boca). Além de incômoda e impactante na vida social, essa é uma situação de risco para o paciente, pois aumenta bastante a incidência de casos de broncoaspiração da saliva, causando pneumonias de repetição nesses indivíduos.

Tratamento adequado

São, portanto, várias as razões para que o tratamento da sialorreia seja cada vez mais encarado como algo crucial para a manutenção da saúde do paciente crônico.

O neurologista – ou o neurologista infantil, no caso dos pacientes pediátricos – é quem orienta as condutas mais indicadas para cada caso, a partir das trocas de informações com a família – que algumas vezes não se dá conta da presença do sintoma, mas relata que o paciente “ronca” todo o tempo (esse é um sinal da incapacidade de deglutição da saliva, mesmo que ela não esteja sendo extravasada pela boca, através da baba).

O tratamento da sialorreia pode incluir o uso da toxina botulínica e um acompanhamento fonoaudiológico, além de medicações orais

Em grande parte das vezes, o tratamento inclui o acompanhamento fonoaudiológico e pode também envolver o uso de medicações orais ou, até mesmo, a indicação de processos cirúrgicos. Mas a terapêutica com toxina botulínica atualmente figura como a grande e principal aliada nesses casos (aqui neste link explico mais sobre esse processo).

Às famílias, recomendo fortemente que conversem com os médicos que acompanham os seus entes queridos e questionem sobre as alternativas de tratamento. Com os recursos de que dispomos hoje em dia e com o conhecimento que temos a respeito dos impactos da sialorreia na saúde e na qualidade de vida dos pacientes, já não é mais concebível encarar esse sintoma como algo secundário e incontornável.

Essa publicação foi atualizada em 19 de janeiro de 2020 05:16

As opiniões expressas nesse artigo são de responsabilidade de seus respectivos autores.
Caso deseje entrar em contato conosco, escreva para blogdavita@vitaclinica.com.br
Produzido por
Dra. Simone Amorim

Neurofisiologista e Neurologista Infantil

Recentes

Epilepsia X estigma: o bem-estar psicológico e social após o diagnóstico

A maneira como as famílias dialogam sobre a epilepsia infantil pode desempenhar grande influência no estigma relacionado à doença. Enfrentar…

3 dias atrás

Covid-19: brechas no sistema imunológico podem causar complicações em qualquer idade

Coronavírus: brechas no sistema imunológico, que podem acontecer com pessoas de qualquer idade, aumentam os riscos de complicações em pacientes…

6 dias atrás

Busca por dieta cetogênica para o controle da epilepsia é cada vez maior

Pouco mais de um ano após a Liga Brasileira de Epilepsia ter incorporado a dieta cetogênica em seu protocolo de…

2 semanas atrás

Coronavírus já é considerado uma pandemia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de decretar a situação do novo coronavírus como uma pandemia (epidemia espalhada por…

3 semanas atrás

Epilepsia pode apresentar um conjunto variado de sintomas

A maioria das pessoas relaciona epilepsia à ocorrência de convulsões, mas esses não são os únicos sinais indicativos desse quadro.…

4 semanas atrás

Tratamentos com toxina botulínica em foco entre Neurologistas Infantis

As terapias realizadas com toxina botulínica na área da Neurorreabilitação têm chamado cada vez mais atenção dos especialistas em Neurologia…

4 meses atrás