Categorias: Notícias

Por que todos devem usar máscaras?

Compartilhe

Em se tratando de fórmulas para o combate ao novo coronavírus, existem poucas certezas absolutas neste momento. O uso de máscaras por toda a população, por exemplo, não é um consenso, mas vai se confirmando como uma forte tendência, preconizada pelas autoridades de saúde de todo o mundo, como um meio não só eficaz, como fundamental para conter a circulação do vírus.

Neste momento, a recomendação é de que TODAS as pessoas que precisem sair de casa usem máscara

Para entender: a transmissão do SARSC0V2 (nome científico do novo coronavírus) se dá por meio de secreções contaminadas (sobretudo a nossa saliva) expelidas pelas vias aéreas. E, por mais contidos que sejamos, sempre expelimos gotículas para o ar quando falamos ou mesmo quando respiramos.

O contágio direto entre pessoas exige proximidade física (menos de dois metros) para acontecer, pois, dispersos pelo vento, os aerossóis não ficam suspensos por muito tempo no ar e não conseguem “viajar” por muitos metros. Contudo, essas partículas sofrem a força da gravidade e vão caindo nas superfícies (como roupas, objetos, alimentos e chão), onde permanecem vivos por até três horas – tempo mais que suficiente para tocarmos ou pisarmos nas áreas contaminadas e levarmos o micro-organismo adiante, nos contaminando indiretamente e/ou contaminando outras pessoas, que, por sua vez, também poderão passar o vírus para frente.

Por isso, o uso de máscaras é tão eficaz! O acessório diminui muito as chances de transmissão, uma vez que faz uma verdadeira barreira física para conter as gotículas que expelimos sem ver, durante as nossas atividades diárias e contatos sociais.

Dupla função

Uma vez entendido o mecanismo de funcionamento das máscaras, fica clara então a sua dupla função: a de ser mais um dispositivo de proteção individual (pois o mesmo vírus que sai abrigado dentro das gotículas expelidas por nossa boca e nariz, pode também utilizar-se dessas mesmas vias como porta de entrada em nosso organismo) e a de reduzir enormemente as chances de que sejamos agentes disseminadores do vírus, no caso de estarmos infectados, mesmo que ainda não tenhamos conhecimento disso.

As máscaras de uso geral pela população NÃO são as do tipo profissional, mas são muito importantes no combate ao coronavírus

Cabe lembrar que 80% das pessoas que contraem o novo coronavírus não chegam a apresentar sintomas, mas, mesmo assim, têm o potencial de transmiti-lo. Ou seja: podemos, seguramente, contar que entre a nossa população existe um número muito maior de pessoas infectadas do que aquele registrado pelas estatísticas oficiais.

Além disso, conforme vimos acima, mesmo que não esteja contaminada, uma pessoa pode ser vetor de transmissão do vírus – pelas suas roupas, sapatos ou mãos sujas, etc. Daí, além do uso de máscara, a recomendação de cuidados gerais de higiene redobrados.

Portanto, com o uso massivo e correto das máscaras, junto com as demais medidas de proteção, o resultado é uma contenção muito mais rápida e eficaz de circulação e de propagação do vírus. Assim poderemos até vislumbrar uma saída mais rápida do isolamento social (no momento certo), enquanto não chegam a vacina e os medicamentos específicos para evitar as complicações da covid-19 (doença causada pelo novo coronovírus).

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

– MÁSCARAS DE USO DIÁRIO: as máscaras recomendadas para uso corrente entre a população NÃO são as mesmas utilizadas pelos profissionais de saúde. É importante que não haja uma corrida para a compra desses acessórios, evitando que haja falta dele no mercado para quem realmente precisa. As máscaras de uso diário podem ser máscaras simples descartáveis compradas em farmácias e mercados ou mesmo modelos feitos em tecido, que podem ser reutilizadas após lavagem;

– TROCA: a troca da máscara deve ser feita a cada 2 horas ou sempre que ela ficar umidecida pelo uso;

– COMO COLOCAR E TIRAR: pegar pelos elásticos de prender nas orelhas. NÃO coloque a mão no interior da máscara e, mesmo na parte externa, evite esse contato;

– USO: coloque ANTES de sair de casa e NÃO retire para conversar ou realizar atividades. Só retire para fazer a troca ou substituição ou quando retornar para casa. JAMAIS compartilhe sua máscara;

– DESCARTE/LAVAGEM: se o modelo for descartável, jogue NO LIXO imediatamente após o uso, preferencialmente dentro de um saco plástico. No caso de um modelo lavável, guarde dentro de um saco plástico bem fechado e depois lave com água quente e sabão antes de uma nova utilização (por isso, se a opção for por máscaras reutilizáveis, é preciso ter pelo menos duas para revezar);

– OUTROS CUIDADOS: o uso de máscaras NÃO implica em relaxar com os demais cuidados de higiene. É preciso continuar evitando levar as mãos ao rosto, lavar as mãos constantemente ou higienizar com álcool gel, manter distância de pelo menos dois metros das pessoas e tomar todas as medidas necessárias para evitar trazer a contaminação da rua para dentro de casa;

– CONTATOS SOCIAIS: neste momento, mesmo com o uso de máscaras, a recomendação para a maioria da população é de procurar EVITAR O CONTATO FÍSICO, mantendo-se EM CASA na maior parte do tempo possível. As saídas só devem acontecer em caso de extrema necessidade, sendo que as pessoas que se encontram nos grupos de maior risco devem ser mantidas o mais protegidas possíveis de quaisquer contatos com quem está circulando no ambiente externo.

Produzido por
Clínica Vita

Assessoria de Comunicação

Recentes

Pacientes sofrem mais com crises de enxaqueca durante a pandemia

Maiores níveis de estresse, tensão e ansiedade, junto com as alterações na rotina, têm propiciado ambiente ideal para agravamento das…

2 semanas atrás

Atendimento rápido e monitoramento diminuem índices de morte pela Covid-19

Quase um semestre após a primeira identificação do novo coronavírus, e com muito ainda por se descobrir sobre a sua…

3 semanas atrás

Médicos dão dicas sobre cuidados de saúde importantes durante a quarentena

Sabe aquela história de “fazer do limão uma limonada”? Quem entende de saúde e de qualidade de vida propõe justamente…

4 semanas atrás

Lives tiram dúvidas sobre autismo e outros quadros, em tempos de quarentena

Muito ativa nas redes sociais, a neurologista infantil e neurofisiologista Simone Amorim, diretora da Clínica Vita, está atenta à tendência…

1 mês atrás

Incidência de Transtorno do Espectro Autista segue em crescimento

A prevalência de indivíduos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) segue crescendo! As últimas estatísticas americanas mostram uma prevalência de…

2 meses atrás

Dermatologistas esclarecem dúvidas sobre coronavírus e doenças de pele

Dermatologistas da Clínica Vita esclarecem dúvidas sobre o coronavírus: eles explicam que o vírus NÃO penetra na pele, mas que,…

2 meses atrás